Sejam bem vindos ao meu blog

Aqui pretendo editar todos os tipos de conteúdo que tenham haver com : mãe, criança e aprendizado.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Desenvolvimento da fala:

Seu filho está começando a falar? Fique atenta ao seu comportamento nessa fase. É que, mesmo sem perceber, os pais podem atrapalhar os filhos.
Publicidade
Sabia que antes mesmo do seu filho começar a emitir os primeiros sons, algumas atitudes devem ser evitadas?Não repita a palavra errada: a melhor opção é repetir somente a palavra correta - de maneira exagerada, se necessário. Por exemplo: se a criança disser "pato" em vez de "prato", os pais não devem dar respostas como "não é 'pato', é 'prato'" - fale o seguinte: "Você quer o prato? A mamãe vai pegar o prato para você". É bem mais fácil para a criança entender a maneira correta de pronunciar a palavra.
Fale de maneira correta com o seu filho: é comum que os pais troquem consoantes e abusem dos diminutivos, mas sabia que isso atrapalha o desenvolvimento da linguagem? O ideal é empregar o vocabulário adequado desde a chegada do bebê, já que ele está desenvolvendo a fala durante os primeiros anos de vida.
Outra dica é não substituir palavras por outras inexistentes e mais fáceis - como mamadeira por "tetê", por exemplo. Como a palavra certa é outra, a criança tem que aprender duas vezes.
Não interrompa: quando a criança está com dificuldades para completar uma frase, não a apresse, deixe que ela fale no tempo dela. Se os pais se habituarem a antecipar o discurso, a criança sempre vai esperar que alguém fale por ela.

Não aceite gestos: crianças usam gestos para conseguir o que querem. Se os pais sempre entregam ao filho um objeto simplesmente apontado, a criança se habitua e não aprende a pedir o que quer.

Ajude as crianças a gostarem dos livros e da leitura.

Procure ter em casa livros, revistas e jornais e incentivar a leitura deles. Incentive as idas às bibliotecas tanto da escola, da cidade..etc. Muitas vezes as crianças desistem da leitura ao encontrarem palavras desconhecidas, mas, na maioria dos casos, só de continuar a leitura acabamos por entender o que tais palavras querem dizer. Se for preciso e você puder, explique as palavras difíceis ou procure com elas o significado no dicionário. De vez em quando, nos aniversários ou datas especiais, dê livros interessantes de presente ou um caderno para que usem como diário pessoal, onde possam escrever, desenhar, copiar poemas, colar coisas marcantes de sua vida.

Escute-as lendo em voz alta:
Se as crianças já sabem ler, sugira que leiam em voz alta e escute com atenção. Se elas estiverem tímidas ou gaguejando, tenha paciência. Não fique corrigindo, pois logo irão soltar-se e fazer uma leitura melhor. Em seguida, conversem sobre o que foi lido.

Nunca as obrigue ler:
Não faça da leitura uma obrigação nem a utilize como castigo. Para fazer da criança um leitor de carteirinha, ela precisa ler com prazer.

Estimule os interesses pessoais das crianças com livros, jornais e revistas.
Quando as crianças forem maiores, identifique os assuntos de que elas mais gostam e estimule-as a lerem sobre isso. Por exemplo: se a criança gosta de geografia, consiga-lhe um Atlas. Se gosta de esportes, leia com ela seção de esportes do jornal ou matérias em revistas.

Dependendo da idade, estimule as crianças a escreverem cartas para amigos ou parentes distantes, histórias conhecidas ou inventadas, poemas ou um diário;
se notar que elas gostam de escrever, valorize estas escritas propondo que montem um livro, com capa, ilustrações, recortes etc. Guarde em uma pasta ou caixa preparada para isso;
Peça às crianças que escrevam bilhetes para alguém da família, cartão para um amigo que faz aniversário. Se ainda não souberem escrever, elas podem ditar para você;
Existem muitos jogos que utilizam a escrita, tais como palavras cruzadas, caça palavras etc.

Para que ler e escrever sejam interessantes para as crianças:

1.Leia para elas desde pequeninas e, se possível, todos os dias.
2.Descubra, com as crianças, o melhor horário do dia para a leitura: pode ser na hora de dormir, no final da tarde ou quando acharem melhor. Esses momentos juntos, escutando histórias ou poemas, podem criar lembranças lindas que as crianças jamais esquecerão. Com este tipo de experiência, a leitura na escola também passa a fazer mais sentido, vai ser mais fácil e divertido.
Este costume de ler juntos deve continuar mesmo depois que as crianças crescerem. Se você não tiver facilidade em ler, sugerimos que tente. Você também pode gostar. Convide um parente, amigo ou mesmo um filho mais velho e organize essas horas de leitura. Pode ser um bom motivo para reunir a família.
3.Mostre-lhes que a leitura ajuda nas coisas que fazemos todos os dias:
Cozinhe algo saboroso, com você ou elas lendo as receitas.
Leia ou peça que elas leiam rótulos de embalagens. Depois da leitura conversem sobre o produto.
Você ou as crianças podem ler as instruções de um aparelho doméstico enquanto aprendem a usá-lo. Também podem ler as regras de um jogo antes de começar a jogar.
Quando caminharem juntos ou estiverem no ônibus, leia os anúncios ou letreiros que observarem e depois comentem.
Leiam juntos a programação da TV para escolherem qual programa vão assistir
Leiam manchetes de jornais ou mesmo notícias, com assuntos interessantes que acontecem na sua cidade ou nos outros países.
Até uma bula de remédio, um papel jogado na rua, propagandas distribuídas na rua ou colocadas na caixa postal, podem ser motivos para a leitura. Incentive!

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Projeto Livro Viajante...



Material :
Livro de histórias que possa ser “livre”, ou seja, que possa emprestado a cada aluno mesmo que corra o risco de não ser devolvido.

Cartolina
Cola
Tesoura
Canetinhas
Lápis
Lápis de cor/Giz de cera
massinha de modelar ou argila

palitinhos ou pedacinhos de pau

Objetivo: Aproximar a família do processo de incentivo à leitura, exercitar a capacidade de síntese através de desenhos e de pequenos trechos escritos que resumirão a história.
Estímulo:
Apresentar aos alunos o conceito de “Livro Viajante”: perguntar o que eles acham que é um livro viajante? Qual a diferença de um livro viajante para os outros livros? Qualquer livro pode ser um livro viajante? Dizer que o livro vai passear pela casa de cada um deles.
Desenvolvimento:
Apresentar o livro que será usado no projeto: Mostrar a capa, dizer o título, apresentar o personagem principal, os personagens secundários e o tema. Conversar sobre o personagem principal que deve ter um perfil que atraia a atenção dos alunos.
Ler a história, mostrando as figuras e motivando os alunos a comentarem livremente sobre o que está sendo lido.
Entregar o livro ao primeiro aluno da lista, deixando clara a data em que o livro deve ser trazido de volta e entregue ao próximo colega. Escrever a data na lista que deve estar anexada ao livro.
Fechamento: Após o término da viagem do livro pelas casas dos alunos, recapitular a história deixando que os alunos contem e comentem em sala de aula.
Sugestões:
1) Iniciar a confecção de um painel que resumirá a história. No painel as alunos deverão desenhar os trechos da história que mais chamaram a atenção deles, colocando legendas nos desenhos.
Fixar o painel na sala de aula ou nos corredores e murais da escola, identificado com turma e nomes dos alunos.
2) Se a escola dispuser de massinhas de modelar ou argila, confeccionar os personagens da história para expor na escola ou na sala de aula. Pode-se utilizar lã, palitinhos, entre outros materiais para fazer detalhes como cabelos, casinha, roupas...

Alfabetizado x Letrado

Muitas dúvidas sempre surjem em torno desta temática.
Há, sim, uma diferença entre saber LER e ESCREVER e ser LETRADO.
Resumidamente ALFABETIZADO é toda a pessoa que sabe ler e escrever; Já LETRADO é toda a pessoa que PRATICA o ler e o escrever.
Espero que essas simples palavras ajudem no processo de entendimento desse tema.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

QUAL A HORA CERTA DE RETIRAR AS FRALDAS???

Retirada de fraldas

Quando Começar?
Para iniciar o processo de retirada de fraldas a criança deve ser capaz de:
- Sentar por 5 a 10 minutos;
- Caminhar;
- Falar;
- Tirar suas roupas, que devem ser de fácil manuseio (com elástico);
- Compreender os termos utilizados para nomear urina e fezes;
- Entender que existem locais apropriados, socialmente aceitos, para suas eliminações;

A maioria das crianças aprende a controlar voluntariamente a eliminação de urina e de fezes durante o dia entre 2 anos e 2 anos e meio.
A maioria das crianças que começam a ser ensinadas quando ainda não estão prontas nãoaprendem e podem apresentar distúrbios no controle da eliminação da urina e das fezes.
 
Orientações para o início do aprendizado :
Primeira etapa:
 
- Deixe a criança escolher o penico.
- Coloque o penico em locais onde a criança costuma brincar. Ela pode brincar com o penico, desde que não o use como chapéu. Ele ainda não será usado para suas eliminações.
- Nos primeiros contatos com o penico, estimule a criança a sentar com roupa.

Segunda etapa:


- Passe as eliminações das fraldas para o penico e depois para o vaso sanitário, com a ajuda da criança.
- Deixe a criança com cueca ou calcinha e estimule-a a tirá-la quando for sentar no penico.
- Quando a criança começar a usar o penico, coloque-o no banheiro.
- Meninos e meninas aprendem primeiro sentados. Quando completar o aprendizado, o menino deve ser estimulado a ficar de pé para urinar, imitando o pai e outros meninos.
Terceira etapa:
- Adaptar o vaso sanitário para que a criança fique equilibrada ao sentar, firmando os pés no chão e não contraindo a musculatura.
- Crianças devem ser acostumadas a usar qualquer banheiro.
- Evite, ao máximo, protelar a eliminação de fezes ou urina. Leve a criança ao banheiro sempre que ela tiver vontade.
- As crianças apresentam variações nas suas próprias habilidades e é fundamental respeitar seus limites.As faixas de idade relacionadas com a aquisição de novas capacidades são flexíveis e individuais!!!
É importante que a criança seja orientada da mesma forma na creche e em casa!!!
A idade ideal para a retirada de fraldas é entre 2 anos e 2 anos e meio!
O que pode prejudicar o processo?
- A retirada de fraldas pode ser feita em qualquer época do ano. É fundamental respeitar o desenvolvimento da criança.
- Não comece o aprendizado de fraldas antes dos 2 anos.
-Não se deve lavar a criança toda a vez que ela for ao banheiro.
- Deixar a criança com fraldas ou calças sujas NÃO ajuda para que ela aprenda mais rápido a controlar as eliminações.


Perguntas mais freqüentes

- Crianças acima de 2 anos e meio que já sabem usar o penico, mas ainda não conseguem retardar a micção e estão sempre com uma "rodelinha" de urina na calcinha. Esta situação é normal? Após o aprendizado podem ocorrer "acidentes" num período de até 6 meses, mas se a criança está sempre com a calcinha molhada deve ser investigada.
- É normal que uma criança entre 2 anos e 2 anos e meio peça para ir ao banheiro após ter feito as eliminações nas fraldas?Sim, esta criança está no início do processo de retirada de fraldas. É importante, neste momento, que o cuidador retire as fraldas da criança e passe às eliminações para o penico e após para o vaso sanitário com ajuda da criança, sempre fazendo uma associação verbal entre o penico e o vaso sanitário.
- Quem deve iniciar o ensino para a retirada de fraldas, os pais ou os professores da creche?É indiferente, desde que as condutas em casa e na creche sejam iguais.
- Devo acordar a criança à noite para urinar?Pode-se observar o horário aproximado que a criança urina na cama e levá-la todas as noites por volta desse período para urinar.

ATIVIDADES PEDAGOGICAS P/ CRIANÇAS DE 0 A 3 ANOS...







A MÚSICA DOS NOMES
IDADE: A partir de 4 meses.

TEMPO: 30 minutos.ESPAÇO: Sala de atividades, pátio ou jardim.

OBJETIVOS: Reconhecer o próprio nome e reforçar o vínculo com o educador.Escolha uma música na qual você possa incluir o nome das crianças. Alguns exemplos: “Se Eu Fosse um Peixinho”, “A Canoa Virou”, “Ciranda, Cirandinha” e “Fui ao Itororó”. Reúna a turma em um local agradável e cante. Os bebês também podem participar, já que a intenção é fazer com que se familiarizem com os nomes. Aos que já andam, sugira uma roda, que vai se formando com aqueles que ouvem o próprio nome.



HORA DA COLHEITA

IDADE: A partir de 3 anos.

TEMPO: Uma hora.

ESPAÇO: Sala de atividades.

MATERIAL: Cartolina ou papel cartão, argila, tinta, dado com um lado de cada cor, miniatura de um passarinho (de plástico ou origami) e vasilhas ou cestinhos coloridos.

OBJETIVOS: Integrar-se ao grupo e colaborar com os colegas.

PREPARAÇÃO: Cole uma gravura ou desenhe uma árvore cheia de galhos do tamanho de uma cartolina para servir de tabuleiro. Faça frutinhas de argila, deixe secar e pinte-as com as mesmas cores do dado que será usado no jogo. Em uma das faces dele, desenhe um passarinho. Confeccione também cestinhas de origami ou arrume vasilhas com as mesmas cores do dado e providencie um brinquedo em forma de passarinho. Coloque o tabuleiro sobre uma mesa e espalhe as frutinhas pelos galhos. O passarinho deve ficar solto. Em volta do tabuleiro, espalhe as cestinhas coloridas. Jogo para quatro crianças.Uma criança por vez lança o dado, retira da árvore a fruta da mesma cor indicada pelo dado e coloca-a na cestinha, também da mesma tonalidade. Se o dado cair com a face que traz o passarinho, é ele quem fica com a fruta. O objetivo é colher todas antes que o passarinho as coma.



TEATRO DE BONECOS

IDADE: A partir de 1 ano e meio.

TEMPO: 30 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades, pátio ou biblioteca.

MATERIAL: Fantoches ou dedoches.

OBJETIVO: Conhecer a rotina da escola enquanto conversa com os personagens.Sente-se com as crianças no chão e faça os bonecos “conversarem” com cada uma. Você pode fazer perguntas como:- Quem trouxe você para a escola hoje?- Você tem amigos? Quem são?- Você já brincou no parque?- Você já tomou lanche?



MAMÃE TEM CARTINHA PRA VOCÊ

IDADE: A partir de 2 anos.

TEMPO: Uma hora.ESPAÇO: Sala de atividades.

MATERIAL:Canetas hidrográficas, papel e envelopes.

OBJETIVOS: Tranqüilizar-se quanto aos sentimentos de adaptação (exemplo: tristeza) e compartilhar com os pais as atividades escolares.Distribua uma folha de papel e canetas hidrográficas para cada criança e peça que faça uma cartinha aos pais. Quando todas terminarem os desenhos, chame uma por uma e pergunte a quem a mensagem é endereçada e o que ela deseja comunicar. Escreva o que a criança disser na mesma folha usada por ela. É importante perguntar se ela quer entregar a carta à pessoa apontada. Em caso positivo, coloque-a em um envelope e oriente a criança a entregá-la ao chegar em casa. Caso contrário,guarde o desenho com as demais atividades



(AGRESSIVIDADE) LIBERANDO AS ENERGIAS


Mordidas, tapas, puxões de cabelo... Até os 3 anos de idade, é comum a criança expressar seus desejos e frustrações com atitudes que não são lá muito delicadas. Cabe ao adulto mostrar que há outras formas de se relacionar com o mundo. Oferecer às crianças um ambiente tranqüilo e acolhedor é o primeiro passo para diminuir a agressividade natural nessa fase: quanto maior o bem-estar, menor a necessidade de se expressar agressivamente.



CUIDADO COM A BONECA

IDADE: De 1 a 3 anos.

TEMPO: 30 minutos.

ESPAÇO:Sala de atividades.

MATERIAL: Bonecas, roupinhas de boneca, retalhos de tecido, mamadeiras e chupetas.

OBJETIVOS: Brincar de faz-de-conta durante o jogo simbólico; tocar o colega; e ter um bom relacionamento com o grupo.Esta brincadeira é para meninos e meninas, pois tem o objetivo de desenvolver o relacionamento interpessoal, promovendo atitudes de cuidado e carinho com o outro –necessidades que são comuns a todos, independentemente do sexo. Isso vai se dar no faz-de-conta, momento que a criança aprende sobre as interações sociais. Por isso, é importante ter seu espaço garantido e valorizado na rotina. Proponha que cada um pegue uma boneca e cuide dela como se fosse sua filha. Os pequenos devem dar banho, trocar fralda e fazer carinho.




CHUVINHA DE PAPEL

IDADE: De 8 meses a 3 anos.

TEMPO: De 15 a 30 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades.

MATERIAL:Revistas e jornais velhos.

OBJETIVOS: Relaxar de forma ativa (e não apenas em posição de repouso) e interagir de maneira lúdica com o educador e os colegas.Sente-se com a turma no chão, em torno de uma pilha de revistas e jornais velhos. Deixe que todos manipulem e rasguem as páginas livremente. Junte os papéis picados num monte e jogue tudo para o alto. Vai ser uma festa! Depois, o papel picado pode ser aproveitado em colagens ou modelagem de bonecos.



PAPAI VEIO BRINCAR

IDADE: De 3 meses a 1 ano.

TEMPO: 30 minutos.

ESPAÇO: Sala ampla.

MATERIAL: Aparelho de som, CDs ou fitas cassete com músicas infantis, bolas, fantoches e panos coloridos.

OBJETIVO: Interagir ludicamente com os pais por meio da brincadeira.PREPARAÇÃO: Decore o ambiente com os panos.Coloque uma música e peça para o pai ou a mãe se sentar no chão com o filho. Você pode conduzir as brincadeiras, como rolar uma bola para a criança ou brincar com um fantoche, apresentando possibilidades de interação. Os pais se inspiram em você ou criam brincadeiras.



JOGO DAS EXPRESSÕES

IDADE:De 2 a 3 anos.

TEMPO: 30 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades.

MATERIAL: Cartolina, pincéis atômicos ou tinta.

OBJETIVOS: Nomear os sentimentos e conversar sobre suas possíveis causas.

PREPARAÇÃO: Desenhe na cartolina várias carinhas com expressões faciais que demonstrem sentimentos de tristeza, alegria, raiva, medo, susto etc. Deixe algumas em branco para nomear um sentimento que apareça no decorrer da brincadeira.Convide a criança a apontar a que mais revela a maneira como ela se sente naquele momento e a explicar os motivos daquela sensação. Ela pode, por exemplo, estar com raiva do colega porque tirou um brinquedo da sua mão.



CAMINHADA SOLIDÁRIA

IDADE: De 1 ano e meio a 3 anos.

TEMPO: De 5 a 10 minutos.

ESPAÇO: Áreas livres ou outros espaços.

OBJETIVOS: Desenvolver a idéia de grupo e a tolerância.Esta proposta pode ser aplicada sempre que as crianças tiverem de andar juntas, como da sala para o pátio. Quem quiser correr tem de se controlar. Quem for mais lento precisa se apressar. Se houver alguém com dificuldade de locomoção, o grupo todo terá de esperá-lo.



(ARTES VISUAIS) GRANDES TALENTOS



Nos primeiros anos de vida, as crianças estão imersas no universo das imagens. Começam a perceber que podem agir sobre papéis ou telas provocando mudanças e produzindo algo para ser visto – experiência que já é estética. Oferecer diferentes materiais aos pequenos é uma maneira de ampliar a capacidade de expressão deles e o conhecimento que têm do mundo. A vivência artística da criança será mais rica se ela tiver acesso a tintas, pincéis, lápis e canetas.



PINTAR E DESPINTAR

IDADE: De 1 a 2 anos.

TEMPO: De 10 a 15 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades.

MATERIAL: Um vidro grosso (janela, porta de vidro ou outra superfície transparente, desde que bem fixa, para garantir segurança), tinta guache, rolinho, pincel, esponja ou as mãos.

OBJETIVOS: Explorar e reconhecer o corpo como produtor de marcas; perceber e reconhecer as características do vidro (transparência, dureza e frieza); e observar e perceber as transformações, movimentos, formas e cores por meio da luz que atravessa o vidro.Antes de começar a pintura, estimule as crianças a observar a superfície e suas características (lisa, fria, transparente...). Brinque de fazer caretas do outro lado do vidro, de pôr a mão atrás dele para a criança tentar pegar e de amassar o rosto contra ele. Depois, as crianças podem espalhar a tinta e observar que onde está pintado não há mais transparência. Proponha que elas pintem com o dedo e observem que a transparência volta por onde o dedo passa. Forme uma roda de conversa para retomar as experiências vividas no processo.



MARCA REGISTRADA

IDADE: De 1 a 2 anos.

TEMPO: De 5 a 10 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades.

MATERIAL: Cartolina ou outro tipo de papel e sagu no sabor morango ou uva.

OBJETIVOS:Explorar os materiais (sagu e papel); perceber a marca pessoal; construir a auto-imagem; ordenar formas; e relacionar sensações corporais e registro gráfico.Pinte com o sagu a palma das mãos das crianças para que elas a imprimam sobre o papel. Você pode pintar a sua e fazer a demonstração. Não faça o trabalho por elas. Dê liberdade de movimentos aos pequenos, mesmo que não façam carimbos, mas pinturas livres (foto na pág. ao lado). Uma variação possível desta atividade é a pintura da sola dos pés, que pode ser feita com as crianças que já andam. Elas podem imprimir os pés enquanto caminham sobre um papel comprido. Chame a atenção para o fato de as marcas ficarem bem visíveis no início e irem desaparecendo à medida que a tinta é gasta.



RASGUE E COLE

IDADE: De 7 meses a 3 anos.

TEMPO:De 10 a 20 minutos.

ESPAÇO:Sala de atividades.

MATERIAL: Papel Kraft grande, cola de farinha, revistas e papéis variados (forminha de brigadeiro, embalagem de bala de coco, figurinhas etc.).

OBJETIVO:Perceber diferentes formas, cores e estruturas tridimensionais. PREPARAÇÃO: Faça a cola: misture em uma panela 1 litro de água, 3 colheres de sopa de farinha de trigo e 1 colher de vinagre. Mexa até engrossar e deixe esfriar. Dê às crianças diversas revistas para recortarem sem tesoura.Coloque sobre a mesa uma folha de papel Kraft já pincelada com cola de farinha em toda a área.Deixe à disposição das crianças os vários tipos de papel e recortes de revistas para que elas colem no papel Kraft. Vale sobrepor imagens. Ao final, pode-se fazer um painel coletivo e expor o trabalho.



UM PINCEL MUITOS PAPÉIS

IDADE: De 2 a 3 anos.

TEMPO: De 15 a 30 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades.

MATERIAL: Lápis de cor, giz de cera grande ou pincel grosso e vários tipos de suporte, como papel espelho, cartolina, papel cartão de cores diferentes, papel enrugado, papéis com recortes inusitados (com um furo no meio, por exemplo) ou, ainda, madeira, argila etc.

OBJETIVOS: Experimentar diferentes suportes gráficos; explorar várias possibilidades de registro gráfico; perceber diversas formas de expressão; e desenvolver habilidades motoras (dependendo do material, o ato de desenhar exige mais ou menos força, delicadeza para não rasgar etc.).Com um mesmo pincel, lápis de cor ou giz de cera, as crianças desenham sobre papéis de diferentes cores, formas, tamanhos e texturas (e até sobre outros tipos de materiais, como a madeira). Elas vão perceber diferentes efeitos ou tonalidades de um lápis, por exemplo, quando usado sobre superfícies diversas.



(CUIDADOS E SEGURANÇA) CARINHO E ATENÇÃO



Cuidar e educar são ações que se complementam para promover um crescimento saudável. O desenvolvimento das crianças na Educação Infantil depende das oportunidades de aprendizagem oferecidas pelo mundo que as cerca. O momento do banho ou da alimentação pode ser tão rico quanto o de uma atividade de artes plásticas. Tudo depende de como é organizado.



FRALDA SEQUINHA


O tom de voz da pessoa que cuida regularmente do bebê e seu jeito de tocá-lo informam a ele sobre as relações humanas. Antes de levar a criança para o trocador, é bom dizer que vai trocar sua fralda para ajudá-la a ficar limpa, seca e confortável (organize o material necessário e lava as mãos). Forre o trocador com a toalha da criança . Sempre olhe em seus olhos e converse com ela durante a troca. Remova as roupas sujas e a fralda com cuidado para evitar que fezes e demais secreções respinguem e contaminem você e o ambiente. Dobre a fralda suja sobre si mesma e jogue-a no lixo, que deve ter tampa acionada por pedal e estar perto. Se o bebê estiver com resíduo de fezes, limpe sua pele com água morna corrente e sabonete líquido neutro. Se for apenas de urina, use chumaços de algodão embebido em água morna. Deposite o algodão usado no lixo, Lave as mãos da criança com sabonete e água corrente. Seque bem as dobras da pele e coloque a fralda limpa verificando se ficou confortável. Acomode a criança na sala, no berço ou colchão e depois organize o ambiente e a sacola da criança. Lave as mãos e retorne para a sala.



LONGE DO PERIGO


Há normas específicas para a construção e a adaptação de espaços de Educação Infantil, publicados tanto pelo Ministério da Saúde como pelo da Educação. Todos os materiais (brinquedos, mobiliários e utensílios) e as atividades devem seguir as normas de segurança biológica (sobre toxicidade e contaminação) e evitar acidentes. Manuais sobre o preparo da alimentação e a higiene do espaço e dos brinquedos, elaborados por profissionais habilitados, devem ser adotados. Nas creches, os acidentes mais graves – que podem ser fatais – são engasgos, aspiração de vômito ou de alimentos e quedas. As crianças podem também engolir pequenos objetos ou introduzi-los em orifícios do corpo. Há registros, ainda, de intoxicação com produtos de limpeza, assim como erro na hora da medicação. Toda creche deve ter um protocolo de como agir em caso de acidentes, saber a quem chamar e como remover a criança, se necessário. Todos os educadores devem ser treinados por profissionais habilitados, a cada seis meses, em técnicas de suporte básico de vida para crianças. Os pais precisam preencher uma ficha contendo informações sobre atendimento em situação de urgência e emergência, autorizando a remoção do filho e fornecendo o nome do serviço de saúde em que deseja que ele seja atendido.



HORA DE PAPAR


A alimentação na creche deve ser integrada à rotina de casa. Um local para as mães amamentarem é essencial. Como algumas trazem o leite materno para alimentar os bebês na sua ausência, é necessário saber armazená-lo, degelá-lo, aquecê-lo e oferecê-lo. Também é preciso conhecer o cardápio adequado para bebês que estão em aleitamento misto (leite materno e não materno) e saber preparar e servir papa de frutas ou de legumes ao bebê em processo de desmame. Seguir cuidados de higiene e segurança no preparo e na oferta dos alimentos evita graves riscos à saúde, como intoxicação alimentar. Tenha sempre em mente a necessidade de prevenir engasgos, aspiração de líquidos regurgitados e, caso esses acidentes ocorram, saber como socorrer as crianças. Alimentar os bebês requer atenção individualizada e segurança. Após os 6 meses, aqueles que ainda não se sentam sem apoio das mãos devem receber as papas em cadeirinhas tipo bebê-conforto. Os demais ficam em caldeirões colocados em semicírculos. Assim, você atende dois ou três ao mesmo tempo. Por volta dos 8 meses, as crianças podem receber uma colher para ir prendendo a pegar o alimento e levá-lo à boca – tudo bem se elas quiserem tocar a comida ou levá-la à boca com as mãos. Os pratos devem ser fundos, inquebráveis e lavados com água quente e detergente neutro. Crianças que já andam podem se sentar em cadeiras adequadas à sua altura e, pouco a pouco, aprender a servir-se

] com a sua ajuda. Faz parte de a aprendizagem lavar as mãos antes das refeições e usar babador ou guardanapo.



(IDENTIDADE) QUEM SOU EU


A construção da identidade é gradativa e se dá por meio das interações sociais. Ora as crianças imitam o outro, ora diferenciam-se dele. Para ajudar os bebês nesse processo, você pode criarsituações nas quais eles se comuniquem e expressem desejos, desagrados, necessidades, preferências e vontades. Brincadeiras feitas em frente do espelho ajudam a criança a reconhecer suas características físicas. Já o desenvolvimento da auto-estima se dá conforme a criança incorpora a afeição que os outros têm por ela e a confiança da qual é alvo.



TODO MUNDO NA JANELINHA

IDADE: De 9 meses a 2 anos.

TEMPO: 30 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades.

MATERIAL: Cartolina, caneta hidrocor, cola e uma foto de cada criança.

OBJETIVO: Favorecer o reconhecimento da própria imagem e da dos colegas.

PREPARAÇÃO: Em uma cartolina, desenhe um trenzinho com o número de vagões correspondente à quantidade de crianças. Pendure o cartaz na parede da sala antes de elas chegarem. No dia da brincadeira, peça aos pais que mandem uma foto do filho ou da filha. Peça aos pequenos que sentem em roda e coloquem a foto no meio do círculo. Aconchegue os bebês no grupo e converse com todos. Comente uma foto por vez. Mostre a imagem e diga: “Olha a Aninha!”, “Onde você estava?”, “Na praia, não é?”, “O seu biquíni era azul?”, “Quem já foi à praia?” Chame as crianças pelo nome, pois é muito comum na Educação Infantil o uso de apelidos. Depois dos comentários, cole as fotos nos vagões e deixe elas apreciarem. Inclua uma foto sua também. O trenzinho fica na classe até as férias. Você vai perceber que, sempre que possível, as crianças vão chamar as pessoas que se aproximam da sala para ver as fotos.



PRODUZIDOS PARA O BAILE

IDADE: A partir de 2 anos.

TEMPO: 40 minutos.

ESPAÇO:Sala ampla.

MATERIAL: Espelho de corpo inteiro, aparelho de som, tecidos, fantasias e maquiagem (testada dermatologicamente, antialérgica e sem álcool).

OBJETIVO: Favorecer a construção da identidade com o uso do espelho.Leve as crianças para uma sala que tenha um ou vários espelhos grandes para que todas consigam se ver ao mesmo tempo. Deixe as fantasias e os tecidos à disposição delas. Comece a atividade avisando que vai haver um grande baile e, por isso, elas precisam colocar uma roupa especial e se maquiar. Faça você a pintura no rosto das crianças ou peça ajuda a outro educador. Quando a turma estiver pronta, coloque músicas animadas e comece o baile. Depois que as crianças dançarem livremente, conduza a atividade sugerindo que façam caretas em frente do espelho, dobrem os joelhos, levantem os braços, expressem tristeza,balancem a cabeça e movimentem os tecidos que seguram. Sugestão: maquie-se e fantasie-se você também para curtir junto.



CADÊ MINHA FOTO

IDADE: A partir de 1 ano e meio.

TEMPO: Uma hora.

ESPAÇO:Todos os espaços da escola e o tanque de areia.

MATERIAL: Fotos das crianças, cola e plástico adesivo.

OBJETIVO: Reconhecer a própria imagem e a dos colegas.

PREPARAÇÃO: Encape as fotos com o plástico adesivo para que não estraguem. Elas devem ser as que estavam no trenzinho, descrito na atividade Todo Mundo na Janelinha. Esconda-as no tanque de areia.Quando as crianças entrarem na sala, comente: “Onde estão as fotos do painel? Sumiram! Alguém viu? Não? Vamos procurar?Devem estar em algum lugar na escola...” Indique alguns espaços para elas procurarem as imagens, deixando o tanque de areiapor último. Se a foto encontrada não for a da própria criança, peça que ela a entregue ao dono. Quando todos estiverem com as próprias fotos, podem voltar para a sala e colá-las novamente no painel.



CADA UM É DO SEU JEITO

IDADE: 3 anos.

TEMPO: Uma hora.

ESPAÇO: Sala de atividades ou pátio.

MATERIAL:Papel Kraft, tesoura, canetas hidrocor e fita adesiva.OBJETIVOS: Construir a imagem do próprio corpo e trabalhar a auto-estima.Cada criança deita sobre uma folha de papel para que você possa desenhar a silhueta dela. Recorte o contorno, escreva o nome dacriança e entregue a ela para completar o desenho com olhos, mãos, joelhos etc. Nesse momento, incentive a criança a observar o próprio corpo. Não espere nada figurativo. Quando todos concluírem o trabalho, cole as silhuetas lado a lado na parede e estimule a observação: “Olha! A Iara é mais alta que o Pedro”. Converse bastante sobre as particularidades de cada uma. Esse diálogo contribui para a construção da auto-imagem e da auto-estima, pois a criança interioriza o afeto que você e os colegas têm por ela, expresso na conversa.



CAIXA DE SURPRESA

IDADE: A partir de 2 anos.

TEMPO: 30 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades ou pátio.

MATERIAL: Caixas de sapatos e espelhos pequenos protegidos por uma moldura resistente. Se não houver espelhos na escola, peça aos pais para providenciarem.

OBJETIVO: Brincar com a própria imagem.

PREPARAÇÃO: Peça aos pais que enviem uma caixa de sapatos enfeitada de casa. Antes de a atividade começar, cole o espelho no fundo de cada caixa.Reúna as crianças em círculo e entregue a cada uma sua caixa. Primeiro, peça a elas que apenas segurem. Comente as diferenças entre elas. Fale das cores, dos desenhos, se têm brilho... E avise: “Sempre que vocês abrirem a caixa encontrarão uma surpresa”. A primeira “surpresa” será a criança se ver dentro da caixa, refletida no espelho. Mantenha o espelho na caixa e, a partir da segunda vez, cada uma deve ter algo diferente, como maquiagem, escova de cabelo, saches ou outros objetos que façam parte do acervo da creche.



(INTERAÇÃO) AGIR E CONHECER



Até os 3 anos, a interação da criança com o ambiente se dá por meio da observação e da exploração do espaço, incluindo tudo o que está contido nele. Assim, para que ela adquira conhecimento por meio da ação, você pode planejar atividades que utilizem objetos variados, diversificando as possibilidades de interação também com o espaço e os colegas. Como a criança está aprendendo a falar, é fundamental conversar com ela durante as brincadeiras, mesmo que ela ainda não compreenda ou responda.



QUEM ESTÁ AQUI

IDADE: De 2 a 3 anos.

TEMPO: 30 minutos.

ESPAÇO: Sala com pouca luz.

MATERIAL: Lanternas pequenas.

OBJETIVOS: Descobrir o que há no espaço e olhar os colegas de outra maneira.Entregue uma lanterna pequena e acesa para cada criança. Depois, leve-as a um espaço com luminosidade reduzida e sem móveis, para que não se machuquem. Ao chegar ao local, deixe que andem livremente pela sala, incentivando-as a explorar o ambiente. Uma idéia é procurar os colegas. Elas podem também iluminar partes do corpo do outro e tentar descobrir quem é.



HOJE É DIA DE NOVIDADE

IDADE: A partir de 4 meses.

TEMPO: Uma hora.

ESPAÇO: Sala de atividades.

MATERIAL: Caixa, objetos com diversas formas, texturas e tamanhos (caixinhas encapadas com papel ou tecido contendo areia, pedrinhas ou grãos variados), bexigas com um pouco de água dentro, pedaços de conduíte, rolos de papel-toalha pintados ou encapados, luvas cirúrgicas com talco, argolas, potes de filme fotográfico com miçangas, garrafas PET pequenas com pedaços de papel colorido, espelhinhos, chocalhos, tampas de vasilhas e saches. Obs.: as caixas ou outros objetos que contêm miudezas devem estar bem vedados, para que o conteúdo não escape.

OBJETIVOS:Conhecer os objetos e formas de interagir.

PREPARAÇÃO: Espalhe almofadas pelo chão para a sala ficar aconchegante e coloque as crianças sentadas sobre elas. Os bebês também podem entrar na roda, acomodados em assentos próprios.Inicie a brincadeira dizendo à turma que você trouxe uma caixa cheia de surpresas. Abra-a e tire de dentrodela um objeto por vez, mostrando as várias possibilidades de manuseio, as cores e os desenhos. Essa mediação é fundamental para despertar o interesse da garotada: é observando e imitando sua ação que a criança vai ampliar o repertório de movimentos e criar variações. Quando isso acontecer, chame a atenção das demais para o novo jeito de brincar. Assim você continua estimulando a imitação. Explore ao máximo cada peça, sacudindo, jogando, empilhando, torcendo ou colocando próximo ao ouvido. Só depois entregue-a às crianças. Distribua todo o conteúdo da caixa e permita que elas troquem as peças entre si. Os bebês interagem pelo olhar, mas também podem brincar. Se eles ainda não conseguirem segurar os objetos, ajude-os. Essa atividade pode ser repetida várias vezes na semana, com os mesmos objetos ou outros novos que você trouxer. Guarde-os sempre limpos.



CANTINHO DE LEITURA

IDADE: A partir de 9 meses.

TEMPO: De 10 a 15 minutos por dia.ESPAÇO: Sala de atividades.

MATERIAL: Tapete ou colchão, almofadas ou sofá em miniatura, bonecos de pano e fantoches de personagens familiares às crianças e vários livros.

OBJETIVOS: Interessar-se por histórias e explorar os livros.A experiência de manusear livros desde os primeiros meses de vida colabora com o aprendizado da leitura. Escutar histórias com regularidade também favorece a formação de melhores leitores e apreciadores do universo literário. Organize em sua sala um espaço de leitura que as crianças possam freqüentar e explorar, entrando em contato diariamente com livros, álbuns de imagens, fantoches e bonecos de pano.Vale lembrar que esse espaço deve ser confortável, acolhedor e atrativo. Assim, as crianças se envolvem por um tempo maior com suas atividades. Os livros e demais materiais expostos precisam ser resistentes.Se acontecer de algum ser rasgado ou amassado, conserte e ponha em uso novamente. Leia livros para o grupo. Por causa da idade, as crianças não ficarão sentadas em roda, como as mais velhas. O interesse de uma criança pequena por uma história lida pode ser percebido por reações de alegria ou tentativas de encenar a história. Observe esses sinais e incentive as crianças que os emitiram. Ao escolher as histórias para ler ou contar, opte por livros com ilustrações de qualidade. Não se preocupe com variedade, porque as crianças pequenas gostam de ouvir várias vezes a mesma história. Antes ou depois da leitura, lembre de dar um tempo para as crianças manusearem livremente os livros.



ARTE COM MINGAU

IDADE: De 8 meses a 1 ano e meio.

TEMPO: 30 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades ou pátio.

MATERIAL: Maisena, corante alimentar e água.

OBJETIVO: Interagir com o espaço.

PREPARAÇÃO: Em uma panela, dissolva uma colher de sopa de maisena para cada copo de água. A quantidade é de acordo com o número de crianças ou o tamanho do espaço onde a atividade será realizada. Coloque pitada de corante até a mistura ficar com a cor que você deseja. Leve-a ao fogo e mexa até que se transforme em um mingau. Deixe esfriar. Avise os pais para mandarem roupas velhas no dia da brincadeira.Espalhe a mistura no chão da sala onde as crianças vão brincar. Deixe-as andar, engatinhar e rolar sobre o mingau, interagindo com o espaço. Atenção para que todos se divirtam e ninguém se machuque. Incentive as várias possibilidades de movimento.



(MOVIMENTO) MEU CORPO



Para a criança pequena, mover-se é muito mais do que mexer o corpo ou se deslocar. É uma forma de se comunicar. A aquisição de novas habilidades permite que ela atue de forma cadavez mais independente no mundo. Essa autonomia só é conseguida com a confiança em si mesma e no ambiente. Por isso, é fundamental que a escola ofereça possibilidades de autoconhecimento e um espaço seguro e estimulante.


CORRIDA DE OBSTÁCULOS

IDADE: Até 3 anos.

TEMPO: De10 a 20 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades ou pátio.

MATERIAL: Colchonetes, tatames ou tapetes de EVA e obstáculos, como bancos, cordas, túneis, rampas etc.

OBJETIVO: Desenvolver a coordenação motora, noções de espaço, lateralidade, equilíbrio, deslocamento, esquema corporal, ritmo e atenção.

PREPARAÇÃO: Organize a sala forrando o chão com os colchonetes. Espalhe pelo ambiente alguns obstáculos.Proponha às crianças diferentes movimentos: ajude-as a rolar com braços e pernas esticados, para a frente e para trás; sugira que engatinhem por baixo da mesa ou de uma corda amarrada a uma altura baixa, dentro de um túnel, em uma rampa, em diferentes direções e em ziguezague; dê uma força também para elas andarem de frente e de costas em cima de um banco ou sobre materiaisdiversos, devagar e rápido, com passos de formiguinha e de gigante; incentive-as a trabalhar o impulso com pulos, saltos para a frente e para trás, livres ou sobre obstáculos.



CABANINHA TRANSPARENTE

IDADE: Até 3 anos.

TEMPO: De 30 a 50 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades ou parque.

MATERIAL: Tule com metragem suficiente para que as paredes da cabana cheguem até o chão ou várias tiras coloridas e compridas de papel celofane, bambolê, cola, tesoura, barbante, fita dupla face ou crepe e pequenos ganchos de metal no teto.

OBJETIVOS: Interagir com outras crianças e adultos; pesquisar diferentes sons e efeitos visuais com o uso de transparências, cores e texturas; ter controle motor e limites corporais em espaço pequeno; e se movimentar e se adequar a um espaço que muda de forma quando manipulado.

PREPARAÇÃO: Prenda pedaços grandes de tule ou tiras compridas de papel celofane em árvores, brinquedos de parque etc. Eles devem ir até o chão. Na sala, o tule ou celofane pode ser preso a pequenos ganchos no teto, com uma abertura central. Outra opção é amarrar tiras num bambolê, formando um círculo de caimento vertical com diversas aberturas por toda a circunferência. O tule é transparente e tem elasticidade e leveza, facilitando a manipulação das crianças sem a ajuda do adulto. Já o papel celofane produz um efeito visual de transformação das cores do ambiente e diferentes sons ao ser manipulado.As crianças podem brincar livremente de esconder e aparecer, vendo o mundo de diferentes cores.



ESTA É LEVE, ESTA É PESADA

IDADE: De 7 meses a 3 anos.

TEMPO: De 15 minutos a uma hora.

ESPAÇO: Sala ampla, pátio com solo liso ou gramado.

MATERIAL: Várias caixas de papelão resistente de diferentes tamanhos, jornais, revistas, cola, tesoura, fita adesiva larga, fita crepe e plástico adesivo.

OBJETIVOS: Desenvolver a autonomia; pesquisar habilidades corporais; relacionar o corpo com o peso e o volume dos objetos; e desenvolver aspectos sociais, afetivos e cognitivos. PREPARAÇÃO: Deixe algumas caixas vazias e encham outras com jornais. Fechem todas muito bem e decore-as com recortes de revistas ou fotos de bichos, brinquedos, objetos, meios de transporte, famílias, pessoas, situações de brincadeiras, de convívio social etc. A decoração deve ser feita de forma livre por você. Em alguns momentos, as imagens vão enriquecer suas aulas, quando o tema for bicho ou transporte, por exemplo. Encape as caixas com plástico adesivo para o material durar mais e para facilitar a limpeza. Espalhe as caixas vazias e estimule as crianças a realizar diferentes atividades com elas, como carregar, empurrar, virar, rolar, empilhar etc. Com as mais pesadas, elas vão explorar outros movimentos: debruçar, subir, pular, equilibrar, saltar e virar.


COMO NA PRAIA

IDADE: De 1 a 3 anos.

TEMPO: De 15 a 30 minutos.

ESPAÇO:Tanque ou chão de areia.

MATERIAL: Roupas confortáveis, fôrmas de vários tamanhos e desenhos, baldinhos, pás, colheres, água e um aparelho de som.

OBJETIVOS: Estimular a coordenação motora e o equilíbrio; oferecer estímulos sensoriais; e desenvolver a autonomia e a socialização.Permita que as crianças mexam com a areia livremente, apenas evitando que levem as mãos sujas à boca ou joguem areia nos olhos dos colegas. Ao mesmo tempo, estimule-as a perceber a textura da areia e as diferenças de toque quando ela está molhada ou seca. Isso possibilita novas experiências sensoriais. Questione se é mais fácil moldar quando ela está molhada ou seca. As crianças fazem desenhos e modelam a areia usando fôrmas e baldinhos, individualmente ou com a ajuda do colega. Elas podem também caminhar sobre a areia, experimentando como fica o equilíbrio numa superfície fofa. Outra opção é imprimir o formato das mãos ou dos pés, reconhecendo o próprio corpo (observando formas e tamanhos) na marca deixada. Depois, elas comparam as pegadas com os próprios pés. Enquanto a criançada anda no tanque, experimente colocar para tocar algumas músicas que falem sobre os pés.



(MÚSICA) DESCOBRIR SONS



Acriança consegue perceber sons e se expressar por meio deles desde os primeiros meses de vida. Por desenvolver outras capacidades, como sensibilidade, intuição, reflexão, criatividade, coordenação motora, dicção e ritmo, é importante começar a educação musical desde o berçário. Você pode incentivar os pequenos a cantar, além de educá-los musicalmente ao brincar com a voz, explorando possibilidades diversas como imitar ruídos e os sons de animais, de trovão etc.É essencial ter em mente que você atua como modelo e deve incentivar bons hábitos, como respirar tranqüilamente e manter-se relaxado e com boa postura, além de não gritar ou forçar a voz.



A NATUREZA FALA

IDADE: De 2 a 3 anos.

TEMPO: 30 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades, pátio ou jardim.

MATERIAL: Desenhos, recortes ou vídeos mostrando animais e cenas da natureza.

OBJETIVOS: Brincar com a voz e trabalhar as possibilidades de sons que podemos emitir; estimular a criatividade e a imaginação; e aumentar o repertório.Com base nas imagens, faça perguntas como: “Que som faz esse animal?”, “Como é o barulho do trovão?” ou “Como esse pássaro canta?” e deixe as crianças brincarem livremente.



BRINCOS DE PARALENDAS

IDADE: De 6 meses a 3 anos.

TEMPO:30 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades, pátio ou jardim.

MATERIAL: Letras de músicas, brincos e par lendas.

OBJETIVO: Se divertir com a música.Parlendas são brincadeiras com rima e sem música. Brincos são geralmente cantados e envolvem movimentos corporais, como cavalinho ou balanço.Exemplo de brinco: Serra, Serra, Serrador (Sente a criança em suas pernas, de frente para você e fique de mãos dadas com ela, fazendo movimentos de balanceio para a frente e para trás.)Serra, serra, serrador/ Serra o papo do vovô / O vovô está cansado / Deixa a serra descansarExemplo de par lenda Lá em Cima do Piano (Pode ser usado para escolher quem vai começar uma brincadeira.)Lá em cima do piano / Tem um copo de veneno / Quem bebeu morreu / O azar foi seu



QUE SOM É ESSE?

IDADE: De 6 meses a 2 anos.

TEMPO:30 minutos.

ESPAÇO:Sala de atividades.

MATERIAL: Objetos que emitam sons – chocalhos, sinos, matracas –, instrumentos musicais e brinquedos próprios para a idade.OBJETIVO: Descobrir e produzir diferentes sons.O bebê é estimulado a descobrir os sons que um objeto emite. Espalhe diversos brinquedos por perto da criança e estimule-a a descobrir cada som movimentando o objeto: tocando, apertando, chocando-o com outro (foto na pág. ao lado). É importante estimular a pesquisa de possibilidades para produzir sons em vez de ensinar um único modo de tocar um instrumento, por exemplo.



NOSSO REPERTÓRIO

IDADE: De 6 meses a 3 anos.

TEMPO: 30 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades.

MATERIAL: Aparelho de som e fitas cassete ou CDs variados.

OBJETIVO: Estimular o contato com a música e aprender a ouvi-la.A música deixa de ser trilha sonora ou pano de fundo de outras atividades e passa a ser o foco. Além de estimular o ouvir, mostre à criança como acompanhar o som – batendo palmas, por exemplo, ou até mesmo cantando. É importante que ela tenha contato com um repertório musical variado – de música clássica a ritmos regionais brasileiros. Se você souber, toque um instrumento musical e cante, estimulando a criança a prestar atenção aos sons.


CONTEÚDO DE CRECHE



BerçárioI ( bebês a partir de 1 ano)
Berçário II (crianças na faixa etária , a partir de 1 ano e meio).
Mini-Grupo ; (crianças na faixa etária de 2 anos)
Mini - Maternal (crianças na faixa etária até 3 anos)
Maternal; (crianças na faixa etária de 4 anos)
Jardim I; (crianças na faixa etária de 5 anos)
Jardim II (Alfabetização) (crianças na faixa etária de 6 anos)

BERÇÁRIO E MINI-GRUPO

OBJETIVO
Desenvolver harmonicamente os aspectos físicos, psíquicossociais do bebê, respeitando sua maturidade emocional.Desenvolver a psicomotricidade da criança através do corpo e do movimento.
ATIVIDADES
· Estimulação tátil (acariciando o bebê sempre que possível e conversas diárias).
· Estimulação visual, através de objetos coloridos, que permitam o manuseio com as mãos e a boca.
· Estimulação de movimentos como se arrastar, engatinhar para buscar um objeto. Incentivar também o andar, segurando-o com as mãos.
· Estimulação verbal conversando com a criança todo o tempo, brincando e sorrindo.
· Introdução de alimentos com a paciência do professor, pois a adaptação nem sempre é fácil.
· Trocas de roupas e fraldas contínuas, sempre que for necessário.
· Banhos agradáveis, acompanhados de conversas e músicas.
· Músicas gestuais e cantigas de roda (sentados).
· Exercícios com bolas e brinquedos de encaixe, quando a criança apresentar maturidade.
· Incentivo a fala.
· Imposição de limites, dizendo não, toda vez que a criança colocar em perigo si mesmo, os colegas, tias e o ambiente escolar.
ETAPAS IMPORTANTES DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
Com 01 mês:
· Levanta o queixo.
· Mantêm as mãos fechadas.
· Olha indefinitivamente.
· Olha o rosto das pessoas que o observam.
· Fixa o olhar na luz.
· Emite sons guturais.
Com 02 meses:
· Levanta o tórax.
· Movimenta braços e pernas.
· Olhar acompanha objetos e pessoas em movimento.
· Sorriso social quando recebe atenção.
· Olhar se demora no horizonte.
Com 03 meses:
· Rola da posição de lado para a de costas.
· Olha em todas as direções.
· Não fixa atenção por muito tempo.
· Tenta pegar objetos.
· Sorri.
· Emite sons de vogais.
· Sustenta a cabeça.
Com 04 meses:
· Senta com apoio e mantêm a cabeça firme.
· Mãos abertas.
· Olha imediatamente um objeto que se move.
· Murmura e ri alto.
· Brinca com as mãos e roupas.
· Reconhece a mamadeira.
· Começa a levar objetos à boca.
· Tende a rolar.
Com 05 meses:
· Quando sentado mantêm a cabeça ereta e firme.
· Se sentado, apanha objetos
· Reconhece as pessoas.
· Pode estranhar estranhos.
· Sorri ao se ver no espelho.
· Emite gritos.
· Preensão precária.
Com 06 meses:
· Permanece sentado com o tronco ereto, se tiver apoio.
· Gosta de balançar objetos.
· Agarra objetos com as mãos.
· Gosta de olhar no espelho.
· Estende os braços para os pais e pessoas que gosta.
· Quando deitado segura os pés e brinca com os dedos levando à boca.
Com 07 meses:
· Senta-se com apoio e permanece ereto por pouco tempo.
· Segura um objeto em cada mão.
· Passa objetos de uma mão para outra.
· Sacode chocalho.
· Vocaliza sons e escuta a própria voz.
· Brinca com os pés.
· Aceita alimentos sólidos e estranha pessoas não conhecidas.
Com 08 meses:
· Sentado, permanece ereto, porém inseguro.
· Levanta-se com ajuda.
· Emite sons e parece gostar de ouvir a própria voz.
· Pronuncia sílabas simples.
· Morde e chupa os brinquedos.
· Busca com insistência os brinquedos fora de seu alcance.
Com 09 meses:
· Pode começar a engatinhar.
· Senta-se firme sem apoiar.
· Explora e manipula objetos.
· Vocaliza sílabas repetidas.
· Troca sorrisos, atende ao seu nome e ao não.
· Leva à boca e morde tudo que apanha.
· Mantêm-se em pé apoiado.
· Come bolacha; segura a mamadeira.
Com 10 meses:
· Permanece sentado firme por tempo indeterminado.
· Engatinha.
· Levanta-se sozinho com apoio.
· Começa a soltar os objetos.
· Vocaliza dá-dá, mã-mã, uma ou duas palavras.
· Faz adeus e bate palmas.
· Tende comer sem ajuda, com colher.
· Atende ao seu nome e ao não.
· Faz brincadeiras simples como esconde-esconde.
Com 11 meses:
· Anda com ajuda.
· Pronuncia uma ou outra palavra.
· Compreende o som de algumas palavras.
· Repete palavras.
· Estende o brinquedo para outra pessoa, em geral sem soltar.
· Bebe um pouco de água já da xícara.
Com 12 a 15 meses:
· Começa a andar sozinho.
· Anda cambaleante.
· Gosta de atividades, de andar.
· Coopera ao vestir.
· Reconhece o nome de pessoas conhecidas.
· Quando se vê no espelho, vocaliza.
· Brinca sozinho e já tem objetos favoritos.
· Repete algumas palavras.
· Fica de pé sozinha. Dá alguns passos sozinhos, com todas as articulações flexionadas, sem direção definida. Vai da posição deitada à de pé, sem apoio.
· Solta facilmente. Come com a colher, mas desperdiça boa quantidade. Preensão palmar cruzada.
· Constância formal.
· Constrói torres de dois blocos (cubos de 2,5 cm).
· Pára de levar as coisas à boca.
· Primeira palavra pronunciada corretamente. Não baba mais.
· Reage ao seu próprio nome. Compreende que todas as coisas e todas a pessoas têm nomes.
· Estende as pernas quando esta sendo vestida.
· Emprega a mão dominante com mais freqüência.
Com 15 a 18 meses:
· Caminha bem sozinho.
· Começa a correr, cambaleante.
· Senta-se sozinho em cadeira infantil.
· Sobe e desce com ajuda, ou sé engatinhando.
· Tem mímica muito expressiva.
· Esforça-se para chutar a bola.
· Desenha um traço.
· Vira folhas do livro: 2 ou 3 por vez.
· Gosta de puxar e empurrar brinquedos.
· Constrói uma torre com três cubos.
· Com só, deixando cair.
· Pronuncia cerca de dez palavras e indica desejos nomeando objetos.
· Mostra o nariz, os olhos, o cabelo.
· Imita varrer, ler jornal.
· Compreende ordens e pedidos simples.
· Pode iniciar uso do piniquinho.
· Começa a testar os limites que lhe são impostos.
· Sobe escadas.
· Caminha com os pés separados.
· Bebe na caneca sozinha.
· Frases de uma palavra.
· Localiza rapidamente os sons. Compreende algumas frases simples.
· Compreende onde a bola foi quando ela rola para fora de seu campo visual.
Com 18 a 24 meses:
· Corre bem.
· Chuta a bola.
· Atira a bola com a mão.
· Constrói torres de 4 a 7 cubos (sete cubos com 24 meses).
· Alinha cubos.
· Vira páginas de uma a uma.
· Imita traços verticais e circulares.
· Coloca blocos em um tabuleiro, indiscriminadamente.
· Identifica 3 a 5 desenhos.
· Começa a cortar com tesoura.
· É demorado às refeições e ainda brinca com a comida.
· Abre armários, tira objetos das gavetas.
· Acompanha com gestos o que ouve e vê.
· Reconhece-se no espelho.
· Canta (atrapalhado).
· Dramatiza situações simples com bonecos.
· Negativismo acentuado.
· Tem senso de posse.
· Refere-se a si mesmo pelo nome.
· Veste peça simples.
· Compreende perguntas.
· Faz brincadeiras paralelas.
· Desce escada engatinhando para trás.
· Sobe escada de pé, sozinha, segurando no corrimão. "Corre" desajeitadamente.
· Caminha lateralmente. Caminha para trás. Chuta uma bola. "Salta" desajeitadamente, quando segura por ambas as mãos.
· Come com uma colher. Arremessa, mais sem direção definida.
· Vira as figuras da maneira correta, de cabeça para cima.
· Imagina coisas que não pode ver.
· Ajuda a despir-se.
· Leva a mão a um lugar dolorido.
· Balbucia, imitando o tom e ritmo da mãe. Repete sons.
· Frases de duas palavras.
· Compreende frases curtas. Localiza sons em outra sala.
· Aponta para algumas partes do corpo.
· Consegue associar banheiro/defecação, banheiro/micção.
OBJETIVOS SÓCIO-EMOCIONAIS
Desenvolve hábitos de asseio: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.
Habituá-lo a usar os clichês sociais. Exemplo: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.
Permitir que a criança seja independente. Deixá-la explorar ao máximo os objetos e brinquedos.
Levar a criança a brincar com os outros do grupo.
Fazer com que a criança não fixe em um único colega.
Mante-la ocupada.
Levar a criança a participar das atividades de grupo.

MINI – MATERNAL
OBJETIVO
Promover o desenvolvimento físico, psíquico e social da criança respeitando sua maturidade emocional.Incentivar o uso do raciocínio através de atividades recreativas que valorizem a auto estima do aluno.
ATIVIDADES
· Controle dos esfíncteres, de forma gradativa e com grande paciência e estímulo/incentivo por parte do professor.
· Higiene Bucal apõe as refeições, estimulando e incentivando para o uso da escova.
· Alimentar-se sozinho, com ajuda do professor, aos poucos as crianças aprendem a levar a colher sozinho à boca.
· Introdução de alimentos sólidos, onde aos poucos as crianças deverão se alimentar normalmente, como as crianças maiores, tirando a sopa e a fruta.
· Estimulação do próprio corpo,m identificando e nomeando as partes do corpo. Pode utilizar músicas e brincar de lavar a boneca. No banho também nomeia-se o corpo.
· Garatuja: folhas em branco, onde a criança poderá pintar com lápis, giz de cera e/ou guache (tomando muito cuidado para não levar à boca e aos olhos).
· Exercícios de encaixe, sempre incentivando para que a criança acerte. De início o professor deve ajudar a criança, até que ela consiga associar a forma ao buraco.
· Jogos de bola em rodas, promovendo a integração social, onde a criança deverá joga-la para o amigo, dizendo o nome (ou dito pelo professor).
· Trabalhos manuais com massinhas e argila, deixando que estes manuseiem bastante.
· Incentivo e desenvolvimento da fala, onde o professor deverá conversar e estimular para que a criança consiga manifestar o que quer, não permitindo que ela só se manifeste por gestos.
· Ampliar seu vocabulário, conversando diariamente, com a criança sobre os aspectos do dia-a-dia.
· Incentivar e permitir a fala da criança em todas as atividades possíveis, falando corretamente com a criança. Mostrar à criança a conveniência de falar em voz baixa, trabalhando com a criança o saber escutar.
· Apresentação das cores.
· Trabalhos com músicas gestuais, cantigas de roda e dança, estimulando partes do corpo.
· Contos de histórias curtas.
· Coordenação motora livre, como rasgar papel, brincar de massinha, etc.
· Brincadeiras de imitar os adultos, como escovar os dentes de bonecas, fazer comidinha, ir as compras, banho de bonecas, etc.
· >Explorar o ambiente escolar, mostrando árvores, passarinhos, parquinho, etc.
· O uso do parquinho diário, pois nessa idade a criança tem bastante energia e grande dificuldade de concentração, por isso todas as atividades devem ser curtas e com bastante estímulo/incentivo por parte do professor.
· Imposição de limites e boas maneiras, dizendo "não" à criança, toda vez que colocar em perigo si mesmo, os colegas, tias e o ambiente escolar.
· Traçados simples: Coordenação Motora.
· Formas Geométricas: círculo, quadrado e triângulo
OBJETIVOS SÓCIO-EMOCIONAIS
1. Desenvolve hábitos de asseio: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.
2. Habitua-lo a usar os clichês sociais. Exemplo: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.
3. Permitir que a criança seja independente.
4. Deixa-la explorar ao máximo os objetos e brinquedos.
5. Levar a criança a brincar com os outros do grupo.
6. Fazer com que a criança não fixe em um único colega.
7. Mante-la ocupada.
8. Levar a criança a participar das atividades de grupo.
OBSERVAÇÕES:
CARACTERÍSTICAS:
Aproximadamente 2 anos.
· Egocentrismo.
· Descobertas: tato, movimentos, formas, pessoas, texturas, reprodução de sons, andar, comunicação, etc.
· Coordenação Motora: abrir, fechar, empilhar, encaixar, puxar, empurrar, etc.
TIPOS DE BRINCADEIRAS:
· Brincadeiras referentes à educação sensório-motora (sentir/executar).
· Exploração, canto, perguntas e respostas, esconder.

Jardim I
OBJETIVO
1. Desenvolver os movimentos amplos: saltar, pular, andar...
2. Desenvolver os movimentos finos que envolvam as mãos, adquirindo controle e expressão gráfica com a progressão de exercícios que irão auxiliar no futuro aprendizado da escrita e da leitura.
3. Desenvolver estímulos sonoros e auditivos através de operações concretas.
4. Ampliar vocabulário e linguagem como meio de comunicação, desenvolvendo a imaginação, criatividade, organização de idéias.
5. Identificação do nome próprio.
6. Identificação das letras do nome próprio.
7. Identificação das vogais.
CONTEÚDO
1. Coordenação Motora Ampla.
2. Coordenação Motora Fina.
3. Discriminação Auditiva e Visual.
4. Expressão Oral (histórias, contos, músicas, teatro, etc).
5. Estudo do nome próprio.
6. Estudo das letras do nome próprio.
7. Apresentação das vogais.
ESTRATÉGIA
1. Através de jogos, brincadeiras e atividades lúdicas envolvendo operações concretas.
2. Através de materiais pedagógicos, sucatas, brincadeiras, jogos e atividades visomanuais concretas (pinturas, desenhos, etc).
3. Utilização de recursos audiovisuais como: músicas, histórias, parlendas vídeo, CD, figuras, rótulos, livros, portadores de textos, etc.
4. Leituras, interpretações, cantos, conversas, brincadeiras, jogos, recursos audiovisuais, livros, materiais pedagógicos, etc.
5. Apresentação de crachás, fichas, cartazes, desenhos, jogos e brincadeiras, etc.
6. Fichas cartazes, desenhos, materiais pedagógicos, jogos e brincadeiras.
7. Materiais pedagógicos, brincadeiras, atividades visomanuais concretas, etc.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança, no desempenho de suas atividades, no desenvolvimento da atenção, interesse assimilação e aprendizagem.O instrumento de avaliação será uma ficha de avaliação, que entregaremos aos pais durante as Reuniões.
OBSERVAÇÕES:CARACTERÍSTICAS: Aproximadamente 2 a 3 anos.
· Egocentrismo.
· Descobertas: tato, movimentos, formas, pessoas, texturas, reprodução de sons, andar, comunicação, etc.
· Coordenação Motora: abrir, fechar, empilhar, encaixar, puxar, empurrar, etc.
· Fantasia, Invenção e Representação (imitação de situações conhecidas: escolinha, casinha).
· Criatividade
TIPOS DE BRINCADEIRAS:
· Brincadeiras referentes à educação sensório-motora (sentir/executar).
· Exploração, canto, perguntas e respostas, esconder.
· Brincadeiras sem regras.
· Brincadeiras com poucas regras simples.
· Utilização das formas básicas de movimentos (andar, correr, saltar, rolar, etc).
· Estimulação e motivação.
· Atividades lúdicas.
MATEMÁTICA
OBJETIVO
1. Introduzir o raciocínio lógico, através de suas estruturas.
2. Desenvolver a lateralidade através de estímulos, motivações e atividades de coordenação.
3. Desenvolver a capacidade de situar cronologicamente os fatos para organizar seu tempo e suas ações, orientando-se também no espaço.
4. Desenvolver coordenação motora através de atividades lúdicas, concretas, pedagógicas e visomanuais.
5. Reconhecer e discriminar estímulos visuais, interpretando-os e associando-os.
6. Reproduzir seqüências e seriações, ex: ordenar objetos do mais alto para o mais baixo.
7. Reconhecer e discriminar numerais. Desenvolver contagem de 1 até 10.
CONTEÚDO
1. Estruturas lógicas: discriminação – comparação – identificação – cor – forma – tamanho – conjuntos – quantidade.
2. Conceito de lateralidade.
3. Orientação Temporal Espacial: antes/depois, atrás/na frente/no meio/entre, aberto/fechado, na frente/de costas, em cima/embaixo, em pé/deitado/sentado, longe/perto, direita/esquerda.
4. Coordenação Motora.
5. discriminação audiovisual.
6. Seqüência e seriação.
7. Numeração:• Números de 1 à 5• Contagem de 1 à 10
ESTRATÉGIA
1. Utilização de materiais pedagógicos, sucatas, figuras, livros, jogos, brincadeiras, ...
2. Brincadeiras lúdicas, materiais pedagógicos, atividades audiovisuais.
3. Através do uso de materiais concretos, materiais pedagógicos, jogos e brincadeiras, registro de atividades.
4. Jogos, brincadeiras, músicas, atividades lúdicas, materiais pedagógicos, registro de atividades.
5. Recursos Audiovisuais: rádio, CD, TV, vídeo, músicas, histórias, cartazes, fichas.
6. Cartazes, fichas, jogos, brincadeiras, materiais pedagógicos, atividades lúdicas e de registro.
7. Materiais pedagógicos e concretos, jogos, brincadeiras, cartazes, fichas, desenhos, etc.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança, no desempenho de suas atividades, no desenvolvimento da atenção, interesse assimilação e aprendizagem.O instrumento de avaliação será uma ficha de avaliação, que entregaremos aos pais durante as Reuniões.
OBSERVAÇÕES:
Devemos desenvolver na criança a capacidade de pensar logicamente.Trabalhar problemas relacionados ao seu cotidiano para melhor entendimento do meio em que vive.
A Matemática pode ser considerada uma linguagem simbólica que expressa relações espaciais e de quantidade. Sua função é pois, desenvolver o "pensamento".
A medida que brinca com formas, com quebra-cabeças e com caixas que cabem dentro de caixas, a criança adquire uma noção do conceito pré-simbólico de tamanho, número e forma. Ao enfiar contas em um barbante ou colar figuras, adquire a noção de seqüência e de ordem. E quando utiliza as palavras "não cabe" e "acabou", vai adquirindo a noção de quantidade.
"Esse trabalho deve se muito concreto, baseado no manuseio de materiais. Isso permito que as crianças se famialiarizem mais facilmente com os conceitos matemáticos."
ESTUDOS SOCIAIS
OBJETIVO
1. Estimular o conhecimento da história Brasileira, através das Datas Comemorativas.
2. Desenvolver noção de hoje, ontem e amanhã, bem com o dia, a noite a relação com espaço/tempo.
3. Identificar, nomear e reconhecer a família e sua importância.
4. Estimulação do meio ambiente físico.
CONTEÚDO
1. Datas Comemorativas: Carnaval, Outono, Páscoa, Dia do Índio, Dia das Mães, Festa Junina, Dia dos Pais, Folclore, Independência, Inverno, Dia dos Animais, Dia das Crianças, Dia dos Professores, Proclamação da República, Primavera, Dia da Árvore, Natal e outros.
2. Calendário (relação espaço tempo).
3. Família.
4. Escola (ambiente/colegas).
ESTRATÉGIA
1. Contar histórias sobre o significado das Datas Comemorativas e a produção de lembrancinhas que traduzam a data em questão.
2. Produção de Calendário e exercício do mesmo ao iniciar a aula (manhã e tarde), e aniversários das crianças.
3. Nomeação, explicação e cartazes, através de estimulação de situação problema que envolva o conceito família.
4. Jogos e brincadeiras que explorem o ambiente e colegas.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
CIÊNCIAS
OBJETIVO
1. Desenvolver capacidade de auto-higiene corporal.
2. Identificar, reconhecer, localizar e nomear partes do próprio corpo.
3. Estimulação dos 5 sentidos.
4. Estimular o cuidado com a natureza.
5. Nomear e reconhecer diferentes animais.
6. Discriminação entre liso e áspero.
7. Apresentação de diferentes alimentos, diferenciando de doce e salgados.
CONTEÚDO
1. Higiene Corporal (mãos, dentes, uso do banheiro).
2. Esquema corporal.
3. Órgãos dos sentido: olhos (discriminação visual), ouvidos (discriminação auditiva), tato, olfato e paladar.
4. Horticultura e jardinagem.
5. Animais.
6. Texturas (liso e áspero).
7. Alimentos.
ESTRATÉGIA
1. Incentivar o lavar as mãos, escovar os dentes e ir ao banheiro sozinho, sempre que necessário, através de músicas e histórias que despertem o interesse das crianças.
2. Utilizando quebra-cabeça, músicas, figuras, bonecas e nomeação que desenvolvam o reconhecimento do corpo humano.
3. Exercícios, atividades e jogos que desenvolvam a visão, audição, tato e gustação.
4. Plantação de mudas e flores.
5. Através de figuras, desenhos, gestos musicais e histórias.
6. Através de objetos que mostrem tais diferenças, estimulando jogos e atividades.
7. Apresentação de alimentos.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
ARTES
OBJETIVO
1. Incentivar e desenvolver o hábito de desenho, estimulando assim a fantasia da criança.
2. Estimulação de confecção de brinquedos através da sucata.
3. Estimular a coordenação da criança e a criatividade com o uso da argila e massinha.
CONTEÚDO
1. Artes: desenho livre e pintura.
2. Sucata.
3. Argila e massinha.
ESTRATÉGIA
1. Utilização de lápis, pincéis, cola com muito incentivo, estimulando a criança através de elogios.
2. Material de sucata e criatividade do professor.
3. Apresentação de argila e massinha.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
OBJETIVOS SÓCIO-EMOCIONAIS
1. Desenvolve hábitos de asseio: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.
2. Habitua-lo a usar os clichês sociais. Exemplo: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.
3. Permitir que a criança seja independente.
4. Deixa-la explorar ao máximo os objetos e brinquedos.
5. Levar a criança a brincar com os outros do grupo.
6. Fazer com que a criança não fixe em um único colega.
7. Mante-la ocupada.
8. Levar a criança a participar das atividades de grupo.
MATERNAL 2
LINGUAGEM ORAL
OBJETIVO
1. Desenvolver na criança o conceito de eu em relação ao seu nome, idade e em relação aos pais (família) e colegas.
2. Desenvolver coordenação motora grossa (livre).
3. Despertar na criança o interesse por estímulos sonoros, para que ela consiga perceber, identificar e localizar sons forte e fraco.
4. Desenvolver a capacidade da criança de identificar diferentes objetos e movimentar-se no espaço com facilidade.
5. Incentivar e permitir a fala da criança em toda as atividades possíveis, corrigindo e ampliando seu vocabulário, utilizando também as músicas.
6. Estimular o vocabulário através de contos e histórias pequenas que despertem a fantasia da criança.
7. Incentivar a memorização de pequenas músicas e gestos.
8. Identificar e reconhecer as vogais.
9. Identificar o nome próprio e as letras do nome.
CONTEÚDO
1. Eu (nome, idade, pais e colegas).
2. Coordenação motora.
3. Discriminação auditiva.
4. Discriminação visual.
5. Expressão oral (pronúncias, relatos de acontecimentos, músicas).
6. Histórias e contos.
7. Memorização.
8. Vogais.
9. Nome próprio e letras do nome próprio.
ESTRATÉGIA
1. Através de músicas, jogos com bola pronunciando o nome e estimulação oral.
2. Utilização de recortes, colagem, traçado de linhas em folha e no chão, incentivando jogos e brincadeiras.
3. Utilização de instrumentos sonoros, músicas, batidas de palmas e pés e sons produzidos pela boca.
4. Utilização de sucatas, jogos e materiais pedagógicos com exploração dos objetos do ambiente interno e externo.
5. Utilização de leitura de histórias curtas, músicas e conversas diárias com a criança sobre sua rotina, dando atenção as perguntas e respondendo-as sempre de acordo com sua maturidade emocional.
6. Histórias curtas com gestos, estimulando o interesse e fantasia da criança.
7. Repetição de músicas, gestos e histórias curtas.
8. Através de materiais pedagógicos, fichas, desenhos, cartazes, etc.
9. Fichas, crachás, cartazes, materiais concretos e pedagógicos, jogos e brincadeiras, etc.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.
O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
MATEMÁTICA
OBJETIVO
1. Iniciar a aprendizagem de conceitos de longe, perto, dentro, fora, em cima, em baixo, atrás, na frente, ao lado, dentro, fora, cheio, vazio, etc.
2. Discriminar na criança o sentido de ontem hoje e amanhã.
3. Estimular o uso do raciocínio da criança.
4. Classificação e nomeação de objetos pelas cores primárias (azul, amarelo e vermelho), formas (círculo, triângulo e Quadrado), tamanho (grande e pequeno) e quantidade (1 a 9).
5. Nomear e identificar iguais e diferentes.
CONTEÚDO
1. Conceitos de lateralidade: todo, dentro/fora, grande/pequeno, cheio/vazio, grosso/fino, muito/pouco.
2. Organização espacial: antes/durante e depois, hoje/ontem/amanhã.
3. Jogos de raciocínio (quebra-cabeça e jogos de encaixe).
4. Classificar e nomear objetos pela cor, forma (círculo, triângulo e quadrado), tamanho e quantidade.
5. Nomear iguais e diferentes.
ESTRATÉGIA
1. Através de jogos, músicas e atividades que incentivam o aprendizado da criança como movimento da esquerda para a direita, jogos de dentro para fora, etc. Incentivar e explorar o meio ambiente.
2. Utilização do calendário e estimulação de perguntas e respostas que distingam o dia e a noite, o ontem, o hoje e amanhã.
3. Através de jogos como quebra cabeça, encaixes, de formas e situações problemas que incentivem a criança a pensar, não respondendo tudo para criança, sem que ela tente responder sozinha.
4. Através de objetos, sucatas e material dourado que tenham estas características, utilizando-os em jogos, como procurar cor e forma.
5. Através de jogos, sucatas e objetos que permitam a identificação e classificação de iguais e diferentes.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
ESTUDOS SOCIAIS
OBJETIVO
1. Estimular o conhecimento da história Brasileira, através das Datas Comemorativas.
2. Desenvolver noção de hoje, ontem e amanhã, bem com o dia, a noite a relação com espaço/tempo.
3. Identificar, nomear e reconhecer a família e sua importância.
4. Estimulação do meio ambiente físico.
CONTEÚDO
1. Datas Comemorativas: Carnaval, Outono, Páscoa, Dia do Índio, Dia das Mães, Festa Junina, Dia dos Pais, Folclore, Independência, Inverno, Dia dos Animais, Dia das Crianças, Dia dos Professores, Proclamação da República, Primavera, Dia da Árvore, Natal e outros.
2. Calendário (relação espaço tempo).
3. Família.
4. Escola (ambiente/colegas).
ESTRATÉGIA
1. Contar histórias sobre o significado das Datas Comemorativas e a produção de lembrancinhas que traduzam a data em questão.
2. Produção de Calendário e exercício do mesmo ao iniciar a aula (manhã e tarde), e aniversários das crianças.
3. Nomeação, explicação e cartazes, através de estimulação de situação problema que envolva o conceito família.
4. Jogos e brincadeiras que explorem o ambiente e colegas.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
CIÊNCIAS
OBJETIVO
1. Desenvolver capacidade de auto-higiene corporal.
2. Identificar, reconhecer, localizar e nomear partes do próprio corpo.
3. Estimulação dos 5 sentidos.
4. Estimular o cuidado com a natureza.
5. Nomear e reconhecer diferentes animais.
6. Discriminação entre liso e áspero.
7. Apresentação de diferentes alimentos, diferenciando de doce e salgados.
CONTEÚDO
1. Higiene Corporal (mãos, dentes, uso do banheiro).
2. Esquema corporal.
3. Órgãos dos sentido: olhos (discriminação visual), ouvidos (discriminação auditiva), tato, olfato e paladar.
4. Horticultura e jardinagem.
5. Animais.
6. Texturas (liso e áspero).
7. Alimentos.
ESTRATÉGIA
1. Incentivar o lavar as mãos, escovar os dentes e ir ao banheiro sozinho, sempre que necessário, através de músicas e histórias que despertem o interesse das crianças.
2. Utilizando quebra-cabeça, músicas, figuras, bonecas e nomeação que desenvolvam o reconhecimento do corpo humano.
3. Exercícios, atividades e jogos que desenvolvam a visão, audição, tato e gustação.
4. Plantação de mudas e flores.
5. Através de figuras, desenhos, gestos musicais e histórias.
6. Através de objetos que mostrem tais diferenças, estimulando jogos e atividades.
7. Apresentação de alimentos.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
ARTES
OBJETIVO
1. Incentivar e desenvolver o hábito de desenho, estimulando assim a fantasia da criança.
2. Estimulação de confecção de brinquedos através da sucata.
3. Estimular a coordenação da criança e a criatividade com o uso da argila e massinha.
CONTEÚDO
1. Artes: desenho livre e pintura.
2. Sucata.
3. Argila e massinha.
ESTRATÉGIA
1. Utilização de lápis, pincéis, cola com muito incentivo, estimulando a criança através de elogios.
2. Material de sucata e criatividade do professor.
3. Apresentação de argila e massinha.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
OBJETIVOS SÓCIO-EMOCIONAIS
1. Desenvolve hábitos de asseio: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.
2. Habitua-lo a usar os clichês sociais. Exemplo: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.
3. Permitir que a criança seja independente.
4. Deixa-la explorar ao máximo os objetos e brinquedos.
5. Levar a criança a brincar com os outros do grupo.
6. Fazer com que a criança não fixe em um único colega.
7. Mante-la ocupada.
8. Levar a criança a participar das atividades de grupo.
JARDIM I –
PORTUGUÊS
OBJETIVO
1. Desenvolver percepção visual, auditiva, coordenação viso-motora.
2. Desenvolver Orientação temporal (começo, meio e fim).
3. Desenvolver Orientação espacial.
CONTEÚDO
· Coordenação viso-motora:
1. Desenho livre.
2. Labirinto.
3. Pintura.
4. Recorte e colagem.
5. Traçado de linhas com movimentos livres e dirigidos.
· Percepção visual:
1. Cor.
2. Forma.
3. Tamanho
4. Detalhes.
5. Complementação de figuras.
6. Letras (a, e, i, o, u).
· Orientação temporal: começo, meio e fim, mais velho, mais novo, primeiro e último.
· Orientação espacial: dentro/fora, em cima, entre, em baixo, na frente, atrás, mais alto, mais baixo, mais perto e mais longe.
ESTRATÉGIA
Folhas que promovam o interesse da criança. Pode-se também trabalhar as vogais com músicas.
Trabalhar as noções do conteúdo no dia-a-dia da criança, explicando-a sempre que ocorrer dúvidas. Pode-se trabalhar também com jogos, brincadeira, histórias e músicas.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.
O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
MATEMÁTICA
OBJETIVO
Estimular o raciocínio lógico, estabelecendo relações entre os conceitos: todo, parte, igual, diferente, grande, pequeno, tamanho, cor, forma, etc.
Desenvolver o conceito numérico através da expressão verbal e gráfica.Desenvolver a noção de diferente medidas em relação aos objetos e ao tempo.
CONTEÚDO
· Estruturas lógicas:
1. Discriminação (semelhanças e diferenças).
2. Comparação.
3. Identificação.
4. Conjuntos.
5. Correspondência.
6. Cores.
· Tamanho e formas (círculo, triângulo, quadrado, retângulo).
· Número de 1 a 9, quantidade (mais, menos, muito, pouco, cheio e vazio).
· Medidas:
1. Tamanho de objetos (pequeno, grande, maior, menor, grosso e fino).
2. Distância entre os objetos (longe, perto).
3. Velocidade (rápido, lento, devagar, depressa).
4. Massa (leve, pesado).
5. Temperatura (quente, frio).
6. Som (alto, baixo).
7. Tempo (muito tempo, pouco tempo, dia, noite, hoje, ontem e amanhã).
ESTRATÉGIA
· Através do uso de material concreto e/ou dourado que promovam a discriminação.
· Através do uso de material concreto onde a criança consiga visualizar e conceituar a contagem dos objetos, e mais tarde a apresentação dos números em lousa, caderno, folhas de sulfite, cartazes e músicas.
· Através de material concreto que permita a visualização de diferente medidas, utilizando também jogos e brincadeiras. Em relação ao tempo é interessante o uso de calendário mostrando o dia, mês, ano e tempo meteorológico, e o aniversário das crianças da sala.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.
O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
ESTUDOS SOCIAIS
OBJETIVO
1. Identificar, nomear e se reconhecer como membro de sua família, reconhecendo sua importância e valor que possui em casa.
2. Desenvolver socialização.
3. Identificar os meios de transportes que circulam em nosso país, relacionando-os com o trânsito.
4. Identificar os meios de comunicação existentes em nosso país.
5. Identificar diferentes profissões, bem como sua importância para economia familiar e do país.
6. Estimular o reconhecimento da história Brasileira.
CONTEÚDO
· Eu/Família/Casa.
· Escola
· Meios de Transporte/Trânsito.
· Meios de Comunicação.
· Profissões.
· Datas Comemorativas:
1. Carnaval.
2. Páscoa.
3. Dia Nacional do Livro Infantil.
4. Dia do Índio.
5. Dia do Trabalho
6. Dia das Mães.
7. São João.
8. Dia dos Pais.
9. Dia do Soldado.
10. Folclore.
11. Independência.
12. Dia da Árvore.
13. Primavera.
14. Semana do Trânsito.
15. Dia das Crianças.
16. Proclamação da República.
17. Primavera.
18. Dia da Árvore.
19. Natal e outros.
ESTRATÉGIA
Através de figuras, desenhos, gestos, músicas, histórias e explicações sobre o significado de cada item, e produções de lembrancinhas que traduzam a data em questão.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.
O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
CIÊNCIAS
OBJETIVO
· Estimulação dos 5 sentidos, desenvolvendo a capacidade de auto-higiene e a identificação e nomeação das partes do corpo.
· Incentivar a importância ecológica, através da jardinagem e horticultura.
· Apresentar a diferença entre campo/cidade e praia, estabelecendo a noção de tempo.
· Identificar a importância da água para os seres vivos mostrando a diferenciação entre seres vivos e não vivos.
· Nomear e reconhecer diferentes animais.
· CONTEÚDO
· O corpo humano (os sentidos, hábitos de higiene, e partes do corpo).
· A natureza (dia/noite/tempo, água, campo, cidade, praia, seres vivos e não vivos, plantas e animais).
ESTRATÉGIA
· Exercícios e atividades que desenvolvam a visão, audição, tato, olfato e gustação. Incentivar também o lavar as mãos, escovar os dentes sempre que necessário, através de músicas e histórias, que despertem o interesse da criança.
· Plantar mudas e flores explorando o meio ambiente, livros e revistas que auxiliam a explicação sobre a natureza para o professor.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.
O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
ARTES
OBJETIVO
· Incentivar e desenvolver o hábito de desenho, estimulando assim a fantasia da criança.
· Estimulação de confecção de brinquedos através da sucata.
· Estimular a coordenação da criança e a criatividade com o uso da argila e massinha.
CONTEÚDO
· Artes: desenho livre e pintura.
· Sucata.
· Argila e massinha.
ESTRATÉGIA
· Utilização de lápis, pincéis, cola com muito incentivo, estimulando a criança através de elogios.
· Material de sucata e criatividade do professor.
· Apresentação de argila e massinha.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.
O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
OBJETIVOS SÓCIO-EMOCIONAIS
· Desenvolve hábitos de asseio: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.
· Habitua-lo a usar os clichês sociais. Exemplo: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.
· Permitir que a criança seja independente.
· Deixa-la explorar ao máximo os objetos e brinquedos.
· Levar a criança a brincar com os outros do grupo.
· Fazer com que a criança não fixe em um único colega.
· Mante-la ocupada.
· Levar a criança a participar das atividades de grupo.

JARDIM II
PORTUGUÊS/PRONTIDÃO/LINGUAGEM
OBJETIVO
1. Ampliar a coordenação viso-motora, na busca do desenvolvimento integral da criança.
2. Desenvolver vocabulário, linguagem e a comunicação entre os alunos.
3. Reconhecer, ler e escrever vogais encontros vocálicos e o alfabeto.
4. Desenvolver interesse e atenção por músicas, leitura, histórias e escrita.
5. Preparar o aluno para que fique apto ao processo de alfabetização no Pré – 3º Estágio.
6. Iniciação as famílias silábicas.
CONTEÚDO
· Período Preparatório: traçar linhas (retas, curvas, sinuosas e mistas), desenho livre, labirinto, pintura, recorte, colagem, pontilhado, atividade gráficas e no caderno pedagógico, etc.
· Estudo das vogais: reconhecer, ler, traçar e escrever as vogais.
· Encontros Vocálicos: identificar, ler e escrever, palavras formadas apenas por encontros vocálicos.
· Estudo do Alfabeto: identificar visual e auditivamente as letras do alfabeto, cobrir e copiar as letras maiúsculas e minúsculas (de imprensa e cursiva).
· Famílias Silábicas: proporcionar aos alunos atividades referentes as famílias silábicas, de forma natural e espontânea, pois terão continuidade no Pré – 3º Estágio.
ESTRATÉGIA
· Utilizar: caderno, atividades gráficas, desenho, pintura colagem, recorte e o material escolar.
· Confeccionar cartazes, murais, parlendas, poesias e etc.
· Histórias, músicas, vídeo e livros.
· Atividades com sucatas (ex: embalagens).
· Jogos, brincadeiras e material pedagógico.
AVALIAÇÃO
Avaliação contínua e diária através da participação, interesse e execução das atividades feita pelos alunos.
Correção das lições e atividades.
Verificação da aprendizagem: leitura, identificação e assimilação das atividades, exercícios gráficos.
JARDIM II
MATEMÁTICA –
OBJETIVO
1. Desenvolver e ampliar os conceitos matemáticos para que os alunos possam executar as atividades propostas com interesse, atenção e principalmente que ocorra assimilação e aprendizagem.
2. Identificar números, cores, formas geométricas, medidas, etc.
3. Desenvolver raciocínio lógico-matemático.
4. Desenvolver o processo de adição.
CONTEÚDO
· Estruturas Lógicas: discriminação: semelhanças e diferenças; conjuntos; identificação/comparação.
· Numerais: revisão dos números (0 até 9), idéia de unidade, número 0 (zero), unidade e dezena, idéia de ordinal, números de 0 até 20, quantidades: igual/diferente, mais/menos, cheio/vazio.
· Operação com Números: adição: total até 9.
· Espaço e forma: traçado de linhas: curvas (aberto/fechado), posicionamento: frente/ atrás, em cima/embaixo, dentro/fora, longe/perto, primeiro/último, direita/esquerda; identificação de figuras geométricas (círculo, triângulo, retângulo, quadrado).
· Medidas: tamanho: maior/menos, grande/pequeno; espessura: grosso/fino, largo/estreito.
· Fração: inteiro/metade.
ESTRATÉGIA
1. Utilizar: figuras, desenhos, cartazes, lousa, material escolar, caderno quadriculado, atividades gráficas.
2. Confeccionar: cartazes, murais, fichas, números.
3. Recorte, colagem e pintura.
4. Atividade com sucatas.
5. Músicas e histórias.
6. Jogos, brincadeiras e material pedagógico.
AVALIAÇÃO
Avaliação através das atividades realizadas pelos alunos e correções das lições, sempre verificando a participação, interesse e aprendizagem.
Avaliação contínua e diária desenvolvendo raciocínio lógico-matemático.
ARTES PLÁSTICAS
OBJETIVO
· Desenvolver a potencialidade criadora de cada aluno, respeitando suas naturais limitações.
· Desenvolver habilidades e formas próprias desenhando, pintando, construindo e modelando.
· Desenvolver o domínio de técnicas, instrumentos e procedimentos expressivos.
· Desenvolver a habilidade de discriminar cor, forma, dimensão, espaço, harmonia.
CONTEÚDO
· Desenho.
· Pintura.
· Impressão.
· Recorte.
· Alinhavo.
· Tapeçaria.
· Colagem.
· Modelagem.
· Dobradura.
· Montagem.
· Construção.
ESTRATÉGIA
1. Atividades gráficas como desenhos, para pintura, recorte e colagem.
2. Tinta, pincel, cola, tesoura, papel de diferentes tipos, formas e cores.
3. Revista, jornal e sucata.
4. Barbante, lã, linhas, madeira, argila, algodão, gesso, garrafa, etc.
AVALIAÇÃO
Avaliação será continua e diária através dos trabalhos e atividades realizados pelos alunos, com a finalidade de desenvolver: criatividade, interesse, espontaneidades, auto-estima, capricho, atenção, curiosidade, raciocínio, cooperação, companheirismo e a motivação.
CIÊNCIAS
OBJETIVO
1. Identificar as diversas partes do corpo e suas funções.
2. Formar bons hábitos de higiene e saúde.
3. Identificar o valor nutritivo e a procedências dos alimentos.
4. Identificar e observar o processo de germinação e crescimento das plantas.
5. Identificar, distinguir e caracterizar os animais.
6. Desenvolver habilidades como: observação, analise, descrição, classificação e medida.
7. Explorar o ambiente em que vive.
CONTEÚDO
· As Partes do Corpo/Higiene e Saúde/Órgãos do sentido.
· Alimento/Culinária.
· Plantas/Horticultura.
· Animais.
· ESTRATÉGIA
· Explorar o meio em que estamos.
· Confecção de cartazes, desenhos, figuras, fotos, atividades gráficas.
· Pinturas colagens, recortes.
· Horta.
· Passeios, excursões.
· Atividades com os próprios alunos (jogos e brincadeiras).
· Músicas, histórias, diálogos, conversa dirigida, atividade com sucatas.
· Alimentos (frutas, verduras, legumes).

AVALIAÇÃO
Avaliação contínua e diária através das atividades e exercícios realizados e executados pelos alunos, com a finalidade de desenvolver: interesse, atenção, cooperação, espontaneidade, aprendizagem, capacidades de observação, análises e etc.
INTEGRAÇÃO SOCIAL
OBJETIVO
1. Adaptar a criança à escola e à vida social.
2. Promover condições de um convívio agradável.
3. Desenvolver atitudes de polidez, respeito e cooperação.
4. Adquirir habilidades sociais.
5. Compreender a necessidade da cooperação de todos os membros da família e da escola, entre si.
6. Desenvolver: atividades e conhecimentos sociais, habilidades de disciplina, independência e habilidades quanto ao trabalho.
CONTEÚDO
· Eu/Família.
· Casa/Comunidade.
· Escola.
· Meios de Transporte/Meios de Comunicação.
· Datas Comemorativas:
· (Alguns exemplos) Carnaval, Páscoa, Dia do Índio, Dia das Mães, Festa Junina, Dia dos Pais, 07 de Setembro, Dia das Crianças, Primavera, Dia da Árvore, Natal e outros.
ESTRATÉGIA
1. Desenhos, cartazes, músicas, jogos, brincadeiras, atividades com sucata, folhas (atividades gráficas), pintura, recortes e colagens.
2. Festas, bailes, exposição, excursão ou passeios.
AVALIAÇÃO
Avaliação contínua através das atividades e exercícios realizados e propostos aos alunos, no qual se verifica o: interesse, assimilação, compreensão, aprendizagem, comportamento, espontaneidade, capacidade, cooperação, participação e a execução das atividade.
INGLÊS
OBJETIVO
1. Desenvolver algumas noções sobre a língua estrangeira (inglês).
2. Executar as atividades propostas com atenção, compreensão e aprendizagem.
3. Desenvolver a linguagem de palavras, pequenas frases e músicas.
CONTEÚDO
· Cores.
· Números.
· Nomes de animais, alimentos, familiares, objetos, brinquedos, etc.
· Músicas.
ESTRATÉGIA
· Vídeo.
· Cartazes.
· Desenhos.
· Atividades gráficas.
· Pintura, colagem e recorte.
AVALIAÇÃO
Avaliação será feita através dos exercícios e atividades realizadas pelos alunos verificando a aprendizagem, assimilação e compreensão.Pronúncia e o interesse.
OBJETIVOS SÓCIO-EMOCIONAIS
1. Desenvolve hábitos de asseio: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.
2. Habitua-lo a usar os clichês sociais. Exemplo: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.Permitir que a criança seja independente.
3. Deixa-la explorar ao máximo os objetos e brinquedos.
4. Levar a criança a brincar com os outros do grupo.
5. Fazer com que a criança não fixe em um único colega.
6. Mante-la ocupada.
7. Levar a criança a participar das atividades de grupo.
PRÉ (alfabetização)
PORTUGUÊS/PRONTIDÃO/LINGUAGEM
I - PERÍODO PREPARATÓRIO
OBJETIVO
· Desenvolver coordenação motora fina.
· Discriminação esquerda direita.
· Organizar espacialmente os traçados no papel.
· Desenvolver coordenação viso-motora.
CONTEÚDO
1. Exercícios para desenvolver:
· esquema corporal;
· esquema espacial;
· orientação temporal;
· coordenação motora viso-manual (coordenação ampla e coordenação fina);
· percepções sensoriais (visão, audição, tato, olfato, gosto);
· lateralidade.
· Desenvolver campo lingüístico.
ESTRATÉGIA
· Exercícios gráficos em folhas.
· Jogos.
· Brincadeiras.
· Músicas.
· Histórias.
· Atividades com sucata.
· Cartazes.
· Atividades em caderno pedagógico.
AVALIAÇÃO
Avaliação contínua e diária, observando e descrevendo o desempenho do aluno quanto à: participação, atenção, cooperação, interesse, execução das atividades, coordenação viso-motora, execução correta dos movimentos da esquerda para a direita.
II – ALFABETIZAÇÃO
1)- VOGAIS
OBJETIVOS
1. Identificar, ler e escrever as vogais.
2. Discriminar os sons oral e nasal.
3. Discriminar sons aberto e fechado.
4. Completar palavras de acordo com as figuras.
5. Traçar vogais corretamente.
6. Discriminar o som das vogais dentro de um contexto, utilizando músicas.
CONTEÚDO
Palavras-chave e vogais em letras maiúsculas, minúsculas, de imprensa e cursivas.
Exercícios para desenvolver o campo lingüístico: desenvolvimento da expressão oral, início da expressão escrita, leitura incidental.
ESTRATÉGIA
· Apresentação de histórias, músicas, poesias, parlendas.
· Execução de exercícios gráficos.
· Cartazes.
· Coordenação-motora: andar sobre a letra no chão, desenhar (no chão, na lousa).
· Pintura, recorte, desenho, colagem, atividade com sucatas (embalagem).
· Transcrição da letra de imprensa para letra cursiva.
AVALIAÇÃO
Avaliação diária. Através de exercícios orais e escritos o professor deve verificar se o aluno: traça corretamente as vogais, discrimina visualmente e auditivamente a vogal em estudo, lendo e escrevendo.
Avaliar o aluno através da participação, atenção e execução das atividades.
2)- ENCONTROS VOCÁLICOS/ VOGAIS NASALADAS
OBJETIVO
1. Identificar encontros vocálicos e vogais nasaladas.
2. Ler, escrever e empregar os encontros vocálicos.
3. Identificar o sinal gráfico ~ (til), ler e escrever.
CONTEÚDO
· Encontros vocálicos em letras maiúsculas, minúsculas de imprensa e cursivas.
· Vogais nasaladas: ã, ão, ãe, õe.
· Desenvolver campo lingüístico e vocabulário.
ESTRATÉGIA
· Apresentação dos encontros vocálicos e das vogais nasaladas em atividades gráficas, pequenos textos, músicas, desenhos, poesias e parlendas.
· Transcrição, cópias, ditados e exercícios.
· Leitura, recorte e colagem.
AVALIAÇÃO
Avaliação contínua, com a participação e atenção dos alunos. Verificar se o aluno: traça, transcreve, lê, interpreta e emprega corretamente os encontros vocálicos e a vogais nasaladas.
3)- FAMÍLIAS SILÁBICAS
OBJETIVO
1. Identificar, ler e escrever as famílias silábicas corretamente.
2. Automatizar o processo de formação.
3. Empregar corretamente o uso das famílias.
4. Treinar a escrita.
5. Executar os exercícios corretamente.
CONTEÚDO
· Palavras-chave, famílias silábicas.
· Pequenos textos, músicas, poesias, parlendas, histórias e desenhos.
· Ortografia.
ESTRATÉGIA
1. Apresentação das famílias silábicas através de: cartazes, recortes, colagem, desenhos, figuras, histórias, leitura, músicas, jogos, e brincadeiras.
2. Exercícios gráficos orais e escritos, caderno ortográfico, cartilha, ditado, palavras cruzadas e etc.
AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua através de: cópias, treino ortográfico, e exercícios gráficos com correções.
Verificação: se o aluno domina a grafia corretamente e atinge os objetivos propostos; se o aluno identifica, transcreve, copia e lê as famílias silábicas.
Avaliação diária através da atenção, interesse e participação da criança.
MATEMÁTICA
OBJETIVO
1. Desenvolver os conceitos matemáticos, para que possam reconhecer, identificar e executar as atividades propostas.
2. Identificar figuras geométricas.
3. Desenvolver aprendizagem dos números (adição, subtração).
4. Desenvolver raciocínio lógico-matemático.
5. Ampliar os conceitos matemáticos.
6. Realizar as atividades propostas com interesse, atenção, entendimento e compreensão.
CONTEÚDO
· Conceitos matemáticos: grande/pequeno; maior/menor; dentro/fora; mais/menos; em cima/embaixo; na frente/atrás; linha aberta/ linha fechada; etc.
· Conjuntos (unitário, vazio).
· Formas geométricas, numeração, cores, blocos lógicos, sinais (=, #), seqüência numérica e representação gráfica.
ESTRATÉGIA
Apresentar conteúdo de forma dinâmica e estimuladora, através de: cartazes, jogos, brincadeiras, músicas, histórias, atividades gráficas, blocos lógicos, sucatas, recortes, colagens, lousa, caderno quadriculado e etc.
AVALIAÇÃO
Avaliação continua e diária para que o aluno desenvolva: interesse, atenção, raciocínio lógico-matemático e assimilação dos conteúdos.
Avaliar o aluno através de exercícios gráficos através da execução das atividades e correções.
ARTES PLÁSTICAS
OBJETIVO
1. Desenvolver a potencialidade criadora de cada aluno, respeitando suas naturais limitações.
2. Desenvolver habilidades e formas próprias desenhando, pintando, construindo e modelando.
3. Desenvolver o domínio de técnicas, instrumentos e procedimentos expressivos.
4. Desenvolver a habilidade de discriminar cor, forma, dimensão, espaço, harmonia.
CONTEÚDO
· Desenho.
· Pintura.
· Impressão.
· Recorte.
· Alinhavo.
· Tapeçaria.
· Colagem.
· Modelagem.
· Dobradura.
· Montagem.
· Construção.
ESTRATÉGIA
· Atividades gráficas como desenhos, para pintura, recorte e colagem.
· Tinta, pincel, cola, tesoura, papel de diferentes tipos, formas e cores.
· Revista, jornal e sucata.
· Barbante, lã, linhas, madeira, argila, algodão, gesso, garrafa, etc.
AVALIAÇÃO
Avaliação será continua e diária através dos trabalhos e atividades realizados pelos alunos, com a finalidade de desenvolver: criatividade, interesse, espontaneidades, auto-estima, capricho, atenção, curiosidade, raciocínio, cooperação, companheirismo e a motivação.
CIÊNCIAS
OBJETIVO
1. Identificar as diversas partes do corpo e suas funções.
2. Formar bons hábitos de higiene e saúde.
3. Identificar o valor nutritivo e a procedências dos alimentos.
4. Identificar e observar o processo de germinação e crescimento das plantas.
5. Identificar, distinguir e caracterizar os animais.
6. Desenvolver habilidades como: observação, analise, descrição, classificação e medida.
7. Explorar o ambiente em que vive.
CONTEÚDO
· As Partes do Corpo/Higiene e Saúde/Órgãos do sentido.
· Alimento/Culinária.
· Plantas/Horticultura.
· Animais.
ESTRATÉGIA
· Explorar o meio em que estamos.
· Confecção de cartazes, desenhos, figuras, fotos, atividades gráficas.
· Pinturas colagens, recortes.
· Horta.
· Passeios, excursões.
· Atividades com os próprios alunos (jogos e brincadeiras).
· Músicas, histórias, diálogos, conversa dirigida, atividade com sucatas.
· Alimentos (frutas, verduras, legumes).

AVALIAÇÃO
Avaliação contínua e diária através das atividades e exercícios realizados e executados pelos alunos, com a finalidade de desenvolver: interesse, atenção, cooperação, espontaneidade, aprendizagem, capacidades de observação, análises e etc.
INTEGRAÇÃO SOCIAL
OBJETIVO
1. Adaptar a criança à escola e à vida social.
2. Promover condições de um convívio agradável.
3. Desenvolver atitudes de polidez, respeito e cooperação.
4. Adquirir habilidades sociais.
5. Compreender a necessidade da cooperação de todos os membros da família e da escola, entre si.
6. Desenvolver: atividades e conhecimentos sociais, habilidades de disciplina, independência e habilidades quanto ao trabalho.
CONTEÚDO
· Eu/Família.
· Casa/Comunidade.
· Escola.
· Meios de Transporte/Meios de Comunicação.
· Datas Comemorativas:
· (Alguns exemplos) Carnaval, Páscoa, Dia do Índio, Dia das Mães, Festa Junina, Dia dos Pais, 07 de Setembro, Dia das Crianças, Primavera, Dia da Árvore, Natal e outros.
ESTRATÉGIA
Desenhos, cartazes, músicas, jogos, brincadeiras, atividades com sucata, folhas (atividades gráficas), pintura, recortes e colagens.
Festas, bailes, exposição, excursão ou passeios.
AVALIAÇÃO
Avaliação contínua através das atividades e exercícios realizados e propostos aos alunos, no qual se verifica o: interesse, assimilação, compreensão, aprendizagem, comportamento, espontaneidade, capacidade, cooperação, participação e a execução das atividade.
INGLÊS
OBJETIVO
1. Desenvolver algumas noções sobre a língua estrangeira (inglês).
2. Executar as atividades propostas com atenção, compreensão e aprendizagem.
3. Desenvolver a linguagem de palavras, pequenas frases e músicas.
CONTEÚDO
· Cores.
· Números.
· Nomes de animais, alimentos, familiares, objetos, brinquedos, etc.
· Músicas.
ESTRATÉGIA
· Vídeo.
· Cartazes.
· Desenhos.
· Atividades gráficas.
· Pintura, colagem e recorte.
AVALIAÇÃO
Avaliação será feita através dos exercícios e atividades realizadas pelos alunos verificando a aprendizagem, assimilação e compreensão.
Pronúncia e o interesse.
OBJETIVOS SÓCIO-EMOCIONAIS
1. Desenvolve hábitos de asseio: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.
1. Habitua-lo a usar os clichês sociais. Exemplo: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.
2. Permitir que a criança seja independente.
3. Deixa-la explorar ao máximo os objetos e brinquedos.
4. Levar a criança a brincar com os outros do grupo.
5. Fazer com que a criança não fixe em um único colega.
6. Mante-la ocupada.
7. Levar a criança a participar das atividades de grupo.

Função Social e Educacional da Escola
A escola prepara a criança para conviver com grupos sociais mais amplos que a família; a pré-escola deve fornecer-lhe elementos para conhecer esses grupos sociais, e o fará partindo do próprio universo infantil: a família, a casa, a escola, a comunidade, as profissões, datas comemorativas,etc.
ASPECTOS BIOLÓGICOS
Ao propor atividades que visam à observação e compreensão de determinados aspectos biológicos, a pré-escola está fornecendo à criança condições para desenvolver o raciocínio lógico e incorporar o método contínuo de investigações, essenciais para posterior estudo das ciências naturais.
O trabalho prático poderá se realizar através de alguns itens: as partes do corpo humano, higiene e saúde, alimentação, animais plantas, etc.
CONTEÚDO
Conteúdo é tudo aquilo que é passível de integrar um programa educativo com vistas à formação das novas gerações.É por meio de conteúdos que transmitimos e assimilamos conhecimento, mas é também por meio do conteúdo que praticamos operações cognitivas, desenvolvemos hábitos e habilidades e trabalhamos as atitudes, de maneira que alcançamos os objetivos estabelecidos para o processo educacional.
ORGANIZAÇÃO DOS CONTEÚDOSPORTUGUÊS/PRONTIDÃO/LINGUAGEM:
Os trabalhos com as crianças na área lingüística e viso-motora têm como objetivos:
Ampliar o vocabulário, aquisição de fonemas e comunicação;
Ampliar a linguagem e pensamento desenvolvendo a Expressão Oral através de histórias, músicas, teatros, danças, recitação de versos, poemas ou parlendas, dramatizações, hora da novidade, conversas, recados, jogos e brincadeiras;
Dar iniciação a expressão escrita, noções elementares da gramática e a leitura.
Desenvolver o campo perceptivomotor, a partir do esquema corporal –coordenação motora-ampla ou grossa - até chegar aos dedos –coordenação motora-fina.
MATEMÁTICA:
Será desenvolvido o Campo do raciocínio lógico matemático, no qual a criança se tornará capaz de:
• Perceber, identificar e aplicar os conhecimentos como: posições (frente/atrás), dimensões grande/médio/pequeno),comprimento curto/comprido), altura (alto/baixo), peso (leve/pesado), distância (perto/longe), volume (cheio/vazio), quantidades (muito/pouco), disposição e posição dos objetos (em cima/embaixo/ao lado/entre);
• Manipular livremente o conjunto universo blocos lógicos – para formar seqüências e agrupar em subconjuntos de: cor, forma, tamanho e espessura;
• Identificar e formar conjuntos (vazio, unitário, com muitos e poucos elementos);
• Identificar e apontar os numerais (ex: de 0 a 9), relacionando o número isoladamente;
• Identificar cores primárias e secundárias: vermelho/amarelo: laranja; azul/vermelho: roxo; azul/amarelo: verde; branco/preto: cinza;
• Reconhecer números ordinais e último;
• Identificar e nomear formas geométricas;
• Resolver problemas orais e perceber quantidades diferentes em relação as diversas situações (a mesma quantidade de líquido em recipientes diferentes, por exemplo);
• Identificar meio e inteiro;
• Desenvolver operações matemáticas (adição, subtração)
ARTES PLÁSTICAS:
Nesta área ocorre o desenvolvimento da coordenação e habilidade motoras, aumentado a capacidades de organizar o espaço e o domínio de técnicas. Os exercícios de pintura, por exemplo, farão as crianças conhecerem o valor das cores e de suas combinações.
O professor deve permanecer como observador, orientador e amigo; estimular a criatividade e o capricho que o trabalho merece; incentivar a economia no gasto do material usado, informando que assim durará mais tempo; estar seguro da aula que vai dar.
CIÊNCIAS:
Um programa de ciências na pré-escola deve partir dos interesses das crianças, de suas necessidades imediatas e do meio em que elas vivem. Temos com objetivos gerais: desenvolver as habilidades de observar, descrever, analisar, classificar, medir; explorar o ambiente em que vive; estabelecer relações entre os diversos elementos que compõem seu meio; enriquecer suas experiências; adquirir o gosto pelas pesquisas e descobertas; adquirir hábitos de uma vida sadia em relação à higiene, alimentação, eliminação, recreação.
INTEGRAÇÃO SOCIAL:
A pré-escola tem como principal função aprimorar a sociabilidade das crianças, favorecendo: uma convivência feliz no lar, na escola e na sociedade; a auto-realização, a eficiência no trabalho e o civismo; experiências que promovam o desenvolvimento pessoal; a auto-orientação, a cooperação, a responsabilidade, a amizade, a cortesia, o respeito às outras pessoas, boas maneiras, bons hábitos, etc.
INGLÊS:
Será proporcionado às crianças o contato com outro idioma, através de atividades, músicas, vídeos, cartazes, desenhos e pinturas.
INFORMÁTICA:
Visando facilitar a aprendizagem de conteúdos curriculares o uso do computador no processo pedagógico apresenta dois objetivos básicos: melhorar a qualidade de ensino e familiarizar o jovem com uma nova tecnologia, no qual utilizaremos software educativo e atividades complementares.
EDUCAÇÃO FÍSICA (JUDÔ/BALÉ/JOGOS/BRINCADEIRAS):
As atividades físicas e recreativas visam: o desenvolvimento pessoal: domínio do próprio corpo; o que ele pode realizar com o corpo todo e com cada uma de suas partes; o domínio das coisas que o cercam: como utilizá-las, como se situar no tempo e no espaço; o desenvolvimento das qualidades sociais de cooperação, solidariedade, comunicação, etc.
Essas atividades incluídas no plano curricular da pré-escola, oferecem uma educação integral concorrendo com o desenvolvimento estético, intelectual, moral e cívico.
JOGOS E BRINCADEIRAS:
Algumas sugestões que ajudarão a utilizar os jogos e brincadeiras de forma mais adequada e proveitosa no ensino:
a) Defina, de forma clara e precisa, os objetivos a serem atingidos com a aprendizagem. Os jogos e brincadeiras podem ser usados para adquirir determinados conhecimentos (conceitos, princípios e informações), para praticar certas habilidades cognitivas e para aplicar algumas operações mentais ao conteúdo fixado.
b) Determine os conteúdos que serão abordados ou fixados através da aprendizagem pelo jogo ou pela brincadeira.
c) Formule as regras de forma clara e precisa para que não dêem margem de dúvidas.
d) Especifique os recursos ou materiais que serão usados durante a realização do jogo ou brincadeira, preparando-os com antecedência ou verificando se estão completos e em perfeito estado para serem utilizados.
e) Explique aos alunos, oralmente ou por escrito, as regras do jogo ou brincadeira, transmitindo instruções claras e objetivas, de modo que todos entendam o que é para ser feito ou como proceder.
f) Permita a participação, a motivação e estimulação de todos os integrantes do grupo ou equipe.
Como qualquer aula, os jogos e brincadeiras também devem ser planejados. O trabalho planejado é importante e necessário porque evita a improvisação; ajuda a prever e superar dificuldades e contribui para consecução dos objetivos estabelecidos com economia de tempo e eficiência da ação.
Alguns exemplos de jogos ou brincadeiras
1) Dança da Cadeira ou Estátua.
2) Corrida do Saco.
3) Corrida da batata ou ovo cozido.
4) Boliche ou Pescaria.
5) Colocar roupas ou tênis.
6) Pintar o amigo (palhaço ou animais).
7) Mímicas, imitações ou adivinhações.
8) Atividade com bexiga ou chapéu.
9) Atividade com sucata.
10) Atividade com diferentes tipos de bolas.
11) Karaokê.
12) Morto ou Vivo.
13) Desenho, pintura ou colagem.
14) Corrida com obstáculos.
15) Tomba-Latas.
16) Cantigas de Roda.
17) Desfile.
18) Formação de palavras.
19) Jogo da memória e outros.
Inglês e Informática
Será proporcionado às crianças o contato com inglês e informática, através de atividades, músicas, vídeos, cartazes, desenhos e pinturas.
A informática visa facilitar a aprendizagem de conteúdos curriculares, o uso do computador no processo pedagógico apresenta dois objetivos básicos:
melhorar a qualidade de ensino;
familiarizar o jovem com uma nova tecnologia, no qual utilizaremos software educativo e atividades complementares.

EDUCAÇÃO FÍSICA (JOGOS/BRINCADEIRAS):
As atividades físicas e recreativas visam: o desenvolvimento pessoal: domínio do próprio corpo; o que ele pode realizar com o corpo todo e com cada uma de suas partes; o domínio das coisas que o cercam: como utilizá-las, como se situar no tempo e no espaço; o desenvolvimento das qualidades sociais de cooperação, solidariedade, comunicação, etc.Essas atividades incluídas no plano curricular da pré-escola, oferecem uma educação integral concorrendo com o desenvolvimento estético, intelectual, moral e cívico.
Aspectos Psicológicos
Está dividido de duas maneiras:
Fator afetivo Emocional
A escola deve proporcionar um ambiente tranquilo e acolhedor no sentido de amenizar a angústia do educando diante da ausência dos pais e frente a situações novas.
Fator Cognitivo
Através de um ambiente repleto de afeto, o professor deverá elevar a auto estima da criança com o objetivo de proporcionar o pleno desenvolvimento do potencial cognitivo de cada um respeitando sua singularidade e sua maturidade psicobiosocial.
Aspectos sócios-culturais
A escola prepara a criança para conviver com grupos sociais mais amplos que a família; a pré-escola deve fornecer-lhe elementos para conhecer esses gurpos sociais, e o fará partindo do próprio universo infantil: a família, a casa, a escola, a comunidade, as profissões, datas comemorativas,etc.
ASPECTOS BIOLÓGICOS
Ao propor atividades que visam à observação e compreensão de determinados aspectos biológicos, a pré-escola está fornecendo à criança condições para desenvolver o raciocínio lógico e incorporar o método contínuo de investigações, essenciais para posterior estudo das ciências naturais.O trabalho prático poderá se realizar através de alguns itens: as partes do corpo humano, higiene e saúde, alimentação, animais plantas, etc.